Meteorologia

  • 17 JULHO 2019
Tempo
18º
MIN 17º MÁX 19º

Edição

Investimento de 50 milhões cria 183 postos de trabalho em Almeirim

Uma unidade de transformação de cenouras pequenas para exportação vai instalar-se em Almeirim, distrito de Santarém, num investimento de 50 milhões de euros que vai criar 183 postos de trabalho, anunciou hoje o município.

Investimento de 50 milhões cria 183 postos de trabalho em Almeirim
Notícias ao Minuto

18:43 - 24/06/19 por Lusa

Economia Almeirim

O contrato para a construção desta nova unidade vai ser assinado na terça-feira de manhã, no salão nobre dos Paços do Concelho de Almeirim, entre a empresa 52-Fresh e a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), no âmbito de programas de incentivos fiscais e financiamento, na presença do secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, afirma a nota.

"O projeto integra-se na estratégia municipal de afirmação do potencial agroalimentar de Almeirim, presente na afirmação de produtos regionais como o melão, o tomate ou os vinhos brancos, na oferta gastronómica em que pontua a sopa da pedra e num conjunto de atividades associadas ao Mundo Rural", acrescenta.

Segundo o município liderado por Pedro Miguel Ribeiro (PS), o processo, que demorou cerca de quatro anos a concretizar-se, além dos postos de trabalho que vai gerar, vai permitir criar "novos mercados para a agricultura deste concelho da Lezíria do Tejo".

Para Pedro Ribeiro, o investimento da 52-Fresh e o recentemente anunciado pela Sumol+Compal, no total de cerca de 80 milhões de euros e mais 250 postos de trabalho, são exemplos de que "o caminho faz-se caminhando".

O autarca disse à Lusa que, além do emprego indiferenciado, estes investimentos e outros em perspetiva de se instalarem no concelho requerem mão de obra qualificada.

Segundo afirmou, um dos requisitos que pesou na escolha dos investidores franceses da 52-Fresh foi a oferta de serviços de saúde, educação, cultura e desporto, valorizados na fixação de quadros superiores.

Com o concelho a registar em maio 395 desempregados, segundo números do Instituto do Emprego e Formação Profissional, ou seja, menos de 4% da população ativa, Pedro Ribeiro salientou que, havendo "vontade de trabalhar", o número tenderá a baixar ainda mais.

Pedro Ribeiro adiantou que os investimentos em curso na área agroalimentar, em ligação estreita com a agricultura, que é, no concelho, "forte e competitiva", terão igualmente impacto no emprego indireto, além de favorecerem a diversificação de culturas, com vantagens também para o ambiente.

Quanto a outros possíveis investimentos, em "boa perspetiva", mas ainda sem nada concreto, disse que poderão criar mais uma centena de postos de trabalho em áreas tão diversas como a economia circular, a energia ou a produção de equipamentos acústicos (colunas de som) "altamente especializados".

O autarca afirmou que a Zona de Atividades Económicas tem capacidade para acolher mais empresas, estando o município a pressionar a Infraestruturas de Portugal para definir a faixa de proteção da futura ligação da A13 à A23, que atualmente se situa nos 400 metros, limitando a expansão da ZAE.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório