Meteorologia

  • 19 FEVEREIRO 2019
Tempo
12º
MIN 11º MÁX 12º

Edição

Problemas financeiros levam portugueses a prolongar relacionamentos

As dívidas, créditos e finanças influenciam o momento da separação, o que leva 37% dos portugueses a admitir ficar 'preso' a uma relação indesejada.

Problemas financeiros levam portugueses a prolongar relacionamentos
Notícias ao Minuto

08:41 - 14/02/19 por Notícias Ao Minuto 

Economia Dia dos namorados

Os portugueses admitem prolongar relacionamentos devido a problemas financeiros, de acordo com as conclusões mais recentes de um estudo da Intrum, divulgado esta quinta-feira, dia em que se comemora o Dia dos Namorados. 

Segundo o estudo, 37% dos inquiridos portugueses diz que a sua situação financeira tem sido um "fator decisivo para não terminar um relacionamento e, consequentemente, ficar preso a uma relação indesejada", pode ler-se. Esta média é superior à que foi registada em 2017, altura em que o valor registado foi de 32%.

"A verdade é que os problemas financeiros influenciam o adiamento do fim das relações. Grande parte dos casais tem créditos bancários que não conseguem liquidar e em caso de separação, cada um continua a ser responsável pelas dívidas existentes. Assumir a responsabilidade pelas finanças pessoais, juntamente com a plena noção das consequências de uma dívida, são questões que têm um peso muito grande no momento da separação", refere Luís Salvaterra, diretor-geral da Intrum. 

Se olharmos para a Europa, a média situou-se nos 42%, mais 1% do que em 2017. A nível europeu, os países onde se registam as percentagens mais elevadas são a Hungria com 84%, Noruega com 53% e França e Letónia com 51%, segundo o mesmo estudo. 

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório