Meteorologia

  • 21 FEVEREIRO 2019
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 16º

Edição

"É de evitar cenário de saída sem acordo porque seria bastante negativo"

O presidente do Eurogrupo, Mário Centeno, garantiu hoje estarem a ser preparados todos os cenários da saída do Reino Unido da União Europeia (Brexit), em entrevista à Bloomberg, referindo as questões políticas na origem dos riscos para a economia internacional.

"É de evitar cenário de saída sem acordo porque seria bastante negativo"
Notícias ao Minuto

15:11 - 23/01/19 por Lusa

Economia Mário Centeno

Em entrevista à Bloomberg, à margem do Fórum Económico Mundial de Davos, o ministro português das Finanças referiu que, apesar de estarem todos os cenários a ser preparados, é de "evitar um cenário de saída sem acordo, porque seria bastante negativo não apenas para a União Europeia, como especialmente para o Reino Unido".

"Todos devem estar cientes disso e trabalhar à mesa das negociações. Vamos continuar otimistas", disse.

Mário Centeno lembrou haver ainda passos no processo que podem evitar o pior cenário, o que "seria um choque e muito negativo para a economia", mas possível de responder tomando as "necessárias medidas legislativas".

"É difícil tratar o Reino Unido como terceiro país [não membro da UE], mas acredite que estamos a preparar-nos para o fazer", garantiu Centeno.

O Brexit, mas também as "incertezas em torno do orçamento italiano", foram exemplos dados sobre as razões políticas para a "maioria dos riscos" que a economia tem acumulado nos últimos meses e que a "todos deve preocupar".

Mas encontrada a origem, Centeno instou os políticos a resolverem as questões, afirmando esperar que desaceleramentos registados sejam temporários, mesmo o da produção na Alemanha, até porque continua a crescer e as "perspetivas no mercado laboral são muito positivas".

O foco deve estar nesses aspetos positivos, argumentou, e sobre o orçamento italiano indicou que deve estar no cumprimento dos compromissos assumidos.

Sobre os bancos no país, nomeadamente de menor dimensão, o presidente do Eurogrupo referiu a necessidade de se manter o otimismo, mas sem deixar de afirmar preocupação com a situação.

Centeno afirmou ainda a importância das eleições europeias em maio e que está otimista quanto à União Bancária Europeia, no âmbito das reuniões bilaterais que tem mantido.

O responsável acredita que passos concretos podem ser dados até junho.

A comitiva portuguesa na reunião de Davos é liderada pelo ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório