Meteorologia

  • 18 NOVEMBRO 2018
Tempo
14º
MIN 13º MÁX 14º

Edição

Auditor: Rescisões são ameaça à continuidade de operações da Sporting SAD

A PWC, auditor da Sporting SAD, considera existir uma ameaça concreta à continuidade das operações da sociedade na sequência das rescisões de contratos de jogadores e uma impossibilidade de realização do valor de venda dos ativos no curto prazo.

Auditor: Rescisões são ameaça à continuidade de operações da Sporting SAD
Notícias ao Minuto

08:09 - 19/06/18 por Lusa

Economia PWC

Numa comunicação hoje enviada à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Sporting Clube de Portugal -- Futebol, SAD (Sporting SAD), informa que a PWC no dia 12 de junho informou "existir uma ameaça concreta em reação à continuidade das operações da Sporting SAD, além das menções relatadas anteriormente nas Certificações Legais das Contas e Relatórios de Auditoria".

Na "sequência das recentes rescisões de contratos de trabalho desportivo de jogadores (...), considerados como sendo dos mais valiosos em termos de mercado, e do consequente impacto na gestão do risco de liquidez da Sporting SAD, em virtude da impossibilidade de realização do valor de venda dos referidos ativos no curto prazo e dos impactos conexos na atividade da sociedade, constatamos existir a esta data uma ameaça concreta em relação à continuidade das operações da Sporting SAD", é referido.

Na nota, é indicado que a "comunicação da PWC, refere a incerteza, relacionada com a continuidade das operações da sociedade, que já constava da Certificação Legal das Contas e Relatório de Auditoria da PWC referente a 30 de junho de 2017 (contas anuais auditadas), bem como de reservas e ênfases, constantes de relatórios e contas de exercícios anteriores".

Na informação à CMVM, é realçado o impacto que as rescisões dos jogadores poderão ter nas contas da SAD, quer no ativo quer nos capitais próprios.

"Os impactos calculados a 31 de março de 2018, data a que reportam as últimas contas publicadas pela Sociedade, em termos do ativo intangível -- valor do plantel, indicam, para os jogadores comunicados pela sociedade como factos relevantes, um valor de redução do mesmo em cerca de 16,5 milhões de euros, representando 6% do total do ativo; da mesma forma, o impacto da possível imparidade associada ao valor do plantel, sem qualquer efeito de imposto sobre o rendimento, conduziria, na mesma data de 31 de março de 2018, a que o total dos capitais próprios passasse de 7,5 milhões de euros para cerca de 9,0 milhões de euros negativos", é referido.

A Sporting SAD considera, no entanto, que a "continuidade das operações da sociedade se encontra assegurada, encontrando-se a trabalhar com o objetivo de promover as operações necessárias à melhoria da performance económico-financeira, com a devida sustentabilidade, nomeadamente, através do crescimento das principais linhas de receita, do controlo dos gastos operacionais, mantendo um nível de investimento adequado, e da procura dos melhores negócios de venda de direitos desportivos e federativos dos jogadores".

Na nota, é também referido que apesar das rescisões comunicadas como factos relevantes, a sociedade continua a dispor de direitos desportivos e federativos sobre um leque considerável de jogadores profissionais de futebol.

A Sporting SAD destaca também ser expectável que as rescisões, aliadas às revogações por mútuo acordo com a equipa técnica determinem uma descida acentuadas dos gastos com pessoal.

Segundo a SAD, "o Conselho de Administração considera ilícitas as rescisões contratuais apresentadas pelos jogadores, por inexistência de justa causa, pelo que procurará responsabilizar tais jogadores e os clubes com os quais os mesmos celebrem contrato de trabalho, pelos danos e prejuízos sofridos, tendo a expectativa de ser, em consequência, devidamente ressarcido".

A sociedade destaca ainda que o conselho de administração está "convicto de que a reestruturação financeira acordada e contratada em 2014, com os bancos financiadores, assenta em pressupostos económico-financeiros aceitáveis e exequíveis, pelo que a continuidade das operações da Sociedade se encontra também assegurada por esta via".

"Em concreto, poderão ser concretizados o aumento do capital social num montante total de 18.000.000 euros, a realizar por novas entradas em dinheiro, com consequente reembolso do mesmo valor ao Novo Banco e uma nova emissão de VMOC [valores mobiliários obrigatoriamente convertíveis] da Sporting", é ainda referido.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório