Meteorologia

  • 20 MAIO 2024
Tempo
19º
MIN 13º MÁX 21º

Nico, niquinho... na luta pelo podiozinho. As notas do Casa Pia-FC Porto

Dragões voltaram a vencer na I Liga, mais de um mês depois, ocupando o terceiro lugar de 'mãos dadas' com o Sporting de Braga. Vitória SC, apesar de estar mais longe, ainda tem esperanças.

Nico, niquinho... na luta pelo podiozinho. As notas do Casa Pia-FC Porto
Notícias ao Minuto

07:19 - 22/04/24 por Miguel Simões

Desporto Análise

Já depois do apuramento para a final da Taça de Portugal, o FC Porto seguiu 'embalado' para a I Liga e regressou aos triunfos no campeonato, este domingo, ao derrotar o Casa Pia (1-2), em Rio Maior, num jogo em que os golos de Wenderson Galeno e Nico González serviram para fintar o susto do tento certeiro de Nuno Moreira, no regresso ao pódio.

Gonçalo Santos e Sérgio Conceição decidiram utilizar os mesmos onzes do último jogo de cada uma das equipas e, apesar da 'bicada' dos gansos (com ameaças de reviravolta), o 'fogo' dos dragões foi suficiente para que os três pontos viajassem para o emblema da cidade Invicta.

O conjunto azul e branco chegou à vantagem por intermédio de Galeno (31'), numa altura em que estava por cima na partida e já começava a justificar a partida, mas o emblema de Pina Manique reagiu ainda antes do intervalo, ao empatar através de Nuno Moreira (37'). Até ao apito para o descanso, Soma dispôs de três oportunidades praticamente seguidas para ferir Cláudio Ramos, mas o desespero 'apoderou-se' do emblema de Pina Manique.

Dentro dos primeiros minutos do segundo tempo, Nico González - que já tinha ameaçado mexer com o marcador - tratou de recolocar o FC Porto na frente, aos 56 minutos, seguindo-se ainda uma tentativa de livre direto por parte de Mehdi Taremi.

Com algumas substituições pelo meio, o jogo entrou em fase de indecisões na reta final, mas a verdade é que o FC Porto conseguiu controlar, dentro das possibilidades, a vantagem mínima, garantindo a conquista de três importantes pontos, mais de um mês após a última vez, depois de três jogos consecutivos sem ganhar no campeonato.

As contas são claras. O FC Porto agarra-se à última vaga do pódio, com 62 pontos, de 'mãos dadas' com o Sporting de Braga, sendo que ambos os clubes contam com mais cinco pontos do que o Vitória SC. Mais à frente vão Sporting (80) e Benfica (70, com menos um jogo), tratando-se de metas já distantes das ambições dos azuis e brancos. Já o Casa Pia soma 32 pontos na nona posição, procurando ainda garantir a manutenção.

Vamos então às notas da partida.

Figura

Nico González tem sido uma das revelações positivas da temporada (algo negativa) do FC Porto e, no jogo frente ao Casa Pia, voltou a mostrar o motivo de ser uma opção muito regular no onze de Sérgio Conceição, desde a estabilidade defensiva à fluidez ofensiva. Aos 56 minutos, o médio com escola no Barcelona tratou de apontar o tento decisivo da partida e, entre outros momentos altamente assinaláveis junto da grande área adversária, acaba por figurar como o homem do jogo no regresso do FC Porto aos triunfos da I Liga.

Surpresa

Cláudio Ramos não é propriamente uma surpresa, até porque, em traços gerais, cumpre sempre que assume o lugar habitualmente ocupado por Diogo Costa. E a verdade é que o guardião de 32 anos volto a aproveitar a lesão do internacional português para se destacar entre os postes da baliza azul e branca, com uma mão cheia de defesas assinaláveis. É certo que voltou a fechar mais um jogo sem a tão desejada 'clean sheet', mas revelou ser essencial para que a sua equipa carimbasse o regresso à conquista dos três pontos, apesar do susto aos 90+5'.

Desilusão

Felippe Cardoso somou o terceiro jogo consecutivo sem marcar pelo Casa Pia e muito se deve à falta de oportunidades que teve no jogo deste domingo, uma vez que foi a seta ofensiva mais anulada por parte da defesa do FC Porto, tanto em jogo corrido, como nas bolas paradas. O avançado brasileiro acabaria por ser substituído apenas na reta final, aos 82 minutos, mas a verdade é que praticamente não se fez notar nos processos ofensivos da sua equipa, contando ainda com vários duelos perdidos.

Treinadores

Gonçalo Santos quis utilizar exatamente o mesmo onze que tinha apresentado frente ao Portimonense (2-2) e não se pode dizer que não tenha colocado a sua equipa a jogar olhos nos olhos frente ao FC Porto. Já depois de ter terminado o primeiro tempo por cima do adversário, o Casa Pia manteve os mesmos jogadores em campo até aos 73 minutos, altura em que procurava reagir à desvantagem na partida, mas faltou pulso firme na hora de voltar a pregar novo susto aos azuis e brancos.

Sérgio Conceição também repetiu a 'receita' do último jogo, diante do Vitória SC (3-1), apesar de ter enfrentado algumas dúvidas quanto à utilização da mesma equipa inicial, sobretudo no caso de Pepe e Francisco Conceição. O treinador dos dragões foi 'forçado' a mexer ao intervalo, com a substituição de João Mário (com queixas) por Romário Baró, sendo que a boa entrada do médio até 'alavancou' o FC Porto para o ataque e para novo golo na partida. Só na reta final, aos 85 minutos, houve espaço para mais alterações, refrescando o setor ofensivo e controlando o resultado.

Árbitro

Manuel Oliveira não teve uma tarde propriamente fácil, desde o critério disciplinar ao momento de levar o apito à boca, destacando-se, sobretudo, o lance em que apitou uma falta antes de Pepê marcar aquele que seria o 0-2 no encontro, face às dúvidas quanto à falta sobre Neto. Já na reta final, o Casa Pia ficou a pedir penálti de Cláudio Ramos, aos 90+5', por suposta falta sobre André na hora de 'sacudir' o perigo, sendo que o árbitro mandou seguir, sem indicações no VAR.

Leia Também: FC Porto sofre 'bicada' de ganso, mas sorri em Rio Maior e agarra pódio

Recomendados para si

;

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório