Meteorologia

  • 21 MAIO 2024
Tempo
13º
MIN 13º MÁX 20º

Tragédia em 16 atos. Benfica cai da Europa e confirma época 'horribilis'

Eliminados da Taça de Portugal e com o título nacional praticamente perdido, encarnados também se despedem do futebol internacional, às mãos do Marseille.

Tragédia em 16 atos. Benfica cai da Europa e confirma época 'horribilis'

Bastaram 16 dias para o Benfica ter deitado, potencialmente, toda a temporada a perder. Depois da eliminação da Taça de Portugal e de terem ficado à beira de perderem o título de campeões nacionais, os homens de Roger Schmidt despedem-se, desta feita, da Liga Europa.

Os encarnados chegaram à segunda mão dos quartos de final em vantagem, graças ao triunfo conquistado na Luz, por 2-1. No entanto, vacilaram, deixaram Francis Moumbagna empatar a eliminatória à beira dos 90 minutos e acabaram por 'tombar' perante o Marseille, no desempate por grandes penalidades.

Franceses a apertar, portugueses a aguentar

Ainda que Roger Schmidt tenha garantido, na véspera, que o Benfica ia jogar para a vitória, a verdade é que, na primeira parte, optou por entregar a iniciativa de jogo ao Marseille, expondo-se a alguns momentos de ‘aperto’. De tal maneira que, logo ao oitavo minuto, Anatoliy Trubin teve de ‘voar’ para negar o golo a Ilman Ndiaye.

No ataque, os encarnados depositaram grande parte das esperanças em David Neres, que foi sempre o seu principal ‘agitador’, a explorar as debilidades de Chancel Mbemba, ex-FC Porto. Aos 16 minutos, esteve na origem da primeira grande ocasião da equipa, ao assistir para um remate perigoso de Rafa Silva.

Este foi, de resto, uma das poucas situações em que o clube da Luz conseguiu causar algum ‘calafrio’ a Pau López. Os franceses, por seu lado, tiveram mais bola, mas nem por isso voltaram a incomodar o guarda-redes adversário, já que as tentativas de Pierre-Emerick Aubameyang não acertaram no alvo.

A noite dos guarda-redes

A pressão francesa teve seguimento, na segunda parte. Logo a abrir, reclamou-se grande penalidade, por suposta mão na bola de António Silva, depois de um remate de Ilman Ndiaye, que não foi assinalado (e bem). Seguiu-se um remate de Geoffrey Kondogbia, que não passou longe da baliza.

Tal como no primeiro tempo, o Benfica mostrou-se sempre mais perigoso partindo da ala esquerda, e foi precisamente a partir daí que, aos 58 minutos, Fredrik Aursnes partiu para o centro e atirou à malha lateral. Na resposta, Anatoliy Trubin voltou a dizer ‘presente’, agarrar um ‘tiro’ de Amine Harit.

Aos 69 minutos, novo lance polémico na grande área encarnada. Faria Moumbagna rematou e o esférico embateu no braço de Alexander Bah. No entanto, Felix Zwayer entendeu não haver motivos a apontar para a marca dos 11 metros. Instantes depois, Trubin, com uma defesa ‘monstruosa’, voltou a segurar o resultado.

Mas a ‘loucura’ não se ficou por aqui. Aos 74 minutos, foi a vez de Pau López mostrar-se, ao desviar dois remates consecutivos, de Rafa Silva e Ángel di María, fazendo o Marseille acreditar que era possível empatar a eliminatória… o que aconteceu, aos 79, por Francis Moumbagna, pelo que o jogo seguiu para prolongamento e, depois para grandes penalidades.

Aí, os homens da casa foram mais fortes, e marcaram por Joaquín Correa, Geoffrey Kondogbia, Leonardo Balerdi e Luis Henrique, ao passo que, do outro lado, Ángel di María atirou ao poste e António Silva para as mãos de Paul López, pelo que vão medir forças com a Atalanta, na próxima fase.

Momento do jogo: Na altura de todas as decisões, Ángel di María vacilou. O internacional argentino desperdiçou logo a primeira grande penalidade do 'tira-teimas', esvaziando as já por si danificadas esperanças do Benfica, ao mesmo tempo que inchou as do Marseille.

Onzes

Marseille: Pau López; Chancel Mbemba, Leonardo Balerdi, Samuel Gigot, Emran Soglo; Jordan Veretout, Geoffrey Kondogbia, Azzedine Ounahi; Amine Harit, Ilman Ndiaye e Pierre-Emerick Aubameyang.

Benfica: Anatoliy Trubin; Alexander Bah, António Silva, Nicolás Otamendi, Fredrik Aursnes; Florentino Luís, João Neves, Rafa Silva; Ángel di María, David Neres e Casper Tengstedt.

Antevisão

Afastado da Taça de Portugal e a sete pontos do líder da I Liga, o Sporting, quando restam apenas cinco jornadas para o final da temporada, o Benfica deposita todas as esperanças na Liga Europa, onde está em posição privilegiada para garantir um lugar nas meias finais.

Os encarnados deslocam-se, ao início da noite desta quinta-feira, ao Orange Vélodrome para medir forças com o Marseille, uma semana depois do duelo realizado no estádio da Luz, da qual saiu vencedor, por 2-1.

Rafa Silva e Ángel di María foram os autores dos golos do triunfo das águias. No entanto, um remate certeiro de Pierre-Emerick Aubameyang, já à passagem dos 67 minutos de jogo, vai mantendo a eliminatória em aberto.

Os homens de Roger Schmidt entrarão, de resto, em campo, sabendo de antemão que, se seguirem em frente, irão defrontar Liverpool ou Atalanta, sendo que, à partida para o reencontro, os segundos estão em vantagem sobre os primeiros, por 0-3.

O Marseille-Benfica irá contar com a arbitragem do juiz alemão Felix Zwayer, e pode acompanhá-lo, em direto, a partir das 20h00 (hora de Portugal Continental), no Desporto ao Minuto.

Leia Também: Roger Schmidt já pensa na final da Liga Europa: "É o nosso sonho"

Recomendados para si

;

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório