Meteorologia

  • 30 MAIO 2024
Tempo
16º
MIN 16º MÁX 30º

"Conseguimos a vitória com uma alma imensa"

Selecionador português elogiou os seus jogadores.

"Conseguimos a vitória com uma alma imensa"
Notícias ao Minuto

08:28 - 01/06/21 por Notícias ao Minuto com Lusa

Desporto Rui Jorge

Declarações de Rui Jorge após o jogo Portugal-Itália, dos quartos de final do Euro sub-21, disputado na segunda-feira em Ljubljana, na Eslovénia:

Jogo: A exemplo dos três jogos anteriores, houve muito equilíbrio. As equipas são todas fortes nesta fase e tivemos pela frente um adversário tremendo e com um coração fabuloso. Tivemos dois golos de vantagem por duas vezes.

Maior agressividade: À medida que a Itália foi arriscando mais e tentando criar superioridade na frente, deveríamos ter sido mais agressivos em termos ofensivos. Foi a altura em que eles estavam mais desequilibrados e nós deveríamos ter aproveitado melhor. Não conseguimos e sofremos os golos que lhes permitiram empatar. É duro sofrer assim, mas, mesmo assim, recompusemo-nos e conseguimos a vitória com uma alma imensa.

Golos sofridos? Ainda não consegui vê-los ao pormenor, mas acho que não estávamos mal posicionados. Vamos rever tudo. No segundo golo tenho de perceber como é que a bola entra ali. Entrou ali numa zona que não devia, mas estávamos a jogar contra avançados muito bons. Quando erramos um pouco, somos imediatamente penalizados. Isso faz parte contra grandes equipas. Fizemos um bom jogo defensivamente, apesar de parecer sempre difícil dizer isso quando se sofre três golos. Contudo, creio que foi assim. Agora poderíamos e deveríamos ter sido mais maduros no jogo quando estivemos com dois golos de vantagem. Mesmo sofrendo golos a acabar, tivemos uma crença enorme. Claro que ajudou ficarmos em superioridade numérica no prolongamento.

Palestra ao intervalo? Estávamos com alguma dificuldade em pressionar mais alto e intranquilos a defender mais baixo. Tentei dizer que poderíamos jogar numa defesa mais baixa e ficar tranquilos, porque defensivamente também somos uma boa equipa.

Próximo adversário: Em relação à Espanha, ainda não a vi. Vi a primeira parte [com a Croácia], mas não com os olhos que deveria ter visto. Teremos dias para analisar e ver o que iremos fazer. A Espanha também teve prolongamento, por isso [o desgaste] não será um fator crucial.

Tomás Tavares na esquerda da defesa e Dalot na direita: Já jogámos assim aqui na seleção. Acho que contra os Países Baixos [na qualificação] foi assim. Foi meramente uma opção minha, mas podia ser ao contrário. Achei que seria a melhor.

Bis de Dany Mota: O Dany Mota tem feito um percurso extraordinário connosco. Se calhar, não é um jogador elegante e que chame muito a atenção, mas é muito valioso para um treinador e uma equipa. Acho que voltou a fazer mais um grande jogo e ajudou em muitos momentos ofensivos e defensivos. É rápido, com boa capacidade de jogar de costas para a baliza, fortíssimo no jogo aéreo, trabalha de uma forma tremenda na frente e tem golo.

Exibição de Vítor Ferreira: É evidente que o Vitinha é um jogador tremendo. É de um nível superior alto, mas, se faltar, temos elementos para o substituir. Por alguma coisa é invariavelmente titular connosco. Reconheço muita qualidade, espírito coletivo e voltou a fazer um grande jogo.

Leia Também: De Mota ou de bicicleta... Portugal garante lugar nas 'meias' do Europeu

Recomendados para si

;

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório