Meteorologia

  • 24 JUNHO 2024
Tempo
18º
MIN 17º MÁX 29º

Dois ateliês com portugueses na lista de melhores práticas de arquitetura

Os ateliês Summary e llLab foram incluídos na lista de 20 melhores novos ateliês de arquitetura, segundo um júri da plataforma internacional Archdaily dedicada ao setor.

Dois ateliês com portugueses na lista de melhores práticas de arquitetura
Notícias ao Minuto

16:04 - 16/12/21 por Lusa

Cultura Arquitetura

"A necessidade de mudança, combinada com a rápida digitalização da nossa indústria, colocou a arquitetura no limiar de uma grande revolução e acreditamos que os diversos tipos de práticas escolhidas como parte da nossa geração de ArchDaily Novos Escritórios 2021 são catalistas desta mudança", pode ler-se no texto sobre o 2021 'Best New Practices', que a plataforma traduz, em português, para Novos Escritórios.

O ateliê Summary, sediado no Porto, cujos membros são Samuel Gonçalves, Adina Staicu, João Meira e Brecht Vanbockrijck, foi incluído na lista devido ao "equilíbrio entre o pragmatismo e o experimentalismo", indica a ArchDaily sobre esta equipa que desenvolve projetos e sistemas construtivos com a otimização do tempo e recursos físicos como foco central.

Estúdio de arquitetura fundado no Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto, o Summary tem vindo a desenvolver um trabalho direcionado para soluções arquitetónicas e sistemas construtivos através da tecnologia de pré-fabricação.

Este ateliê português, que participou em 2016 na Bienal de Arquitetura de Veneza, foi galardoado em 2017 com um prémio Red Dot e em 2018 o Prémio 40 under 40 European Design.

Outro ateliê selecionado para a lista, o llLab, sediado em Xangai, que reúne criadores de Portugal, China e Alemanha, tem como fundadores Luís Ricardo, David Correa, Taichi Kuma e Hanxiao Liu, trabalhando também com especialistas de outras nacionalidades.

Este ateliê atua nas áreas de arquitetura, design, arte, urbanismo, pesquisa e desenvolvimento, e o seu trabalho "centra-se na utilização do design como ferramenta para melhorar a vida social e cultural através de várias escalas, desde projetos urbanos a microarquitetura ou instalações".

"Os princípios são orientados por uma abordagem experimental e lúdica que leva a projetos de design conceitualmente rigorosos e bem executados", salientou o júri, sobre a justificação da escolha, referindo-se a criações "que provocam e inspiram".

Na lista de duas dezenas de novos ateliês de arquitetura, na escolha plataforma, está também o Mmessina | Rivas, do Brasil, cuja equipa é composta por Francisco Rivas e Rodrigo Messina.

A lista de selecionados incluiu ainda os ateliês A for architecture (Índia), Albor Arquitectos (Cuba), Atelier Lai (China), Baupal (Alemanha), Ben-Avid (Argentina), Canoa (Estados Unidos), Equipo de Arquitetura (Paraguai), ESEColectivo Arquitetos (Ecuador), HANNAH Office (Estados Unidos), ICON (Estados Unidos), Matri-Archi(tecture) (África do Sul/Suiça), PALMA (México), Sher Maker (Tailândia), Stpmj (Coreia do Sul, Estados Unidos), Studio NYALI (Reino Unido), e Urban Radicals (Reino Unido).

A plataforma sublinha que "as questões do ambiente construído já não são apenas interesse de quem constrói e desenha, tornaram-se transversais a toda a sociedade, desde os cidadãos que questionam a qualidade dos espaços públicos, aos pequenos empreendedores que criam as suas próprias casas na floresta".

O júri foi composto por editores da Archdaily de diversos países e curadores, nomeadamente Hana Abdel, Mónica Arellano, Romullo Baratto, David Basulto, Agustina Coulleri, Fabián Dejtiar, Christele Harrouk, Eduardo Leite Souza, Susanna Moreira, Clara Ott, Paula Pintos, Danae Santibañez, Han Shuangyu, Dima Stouhi, e Nicolás Valencia.

Leia Também: Arquitetura. Projetos portugueses distinguidos no Golden Trezzini Awards

Recomendados para si

;
Campo obrigatório