Meteorologia

  • 27 OUTUBRO 2021
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 25º

Edição

Reino Unido deve falar com Grécia para devolver esculturas do Pártenon

A UNESCO defendeu que o Reino Unido deve iniciar consultas com a Grécia para devolver as esculturas do Pártenon, que há mais de 200 anos se encontram no Museu Britânico, em Londres, segundo um comunicado oficial grego divulgado hoje.

Reino Unido deve falar com Grécia para devolver esculturas do Pártenon
Notícias ao Minuto

18:54 - 13/10/21 por Lusa

Cultura Pártenon

No comunicado, a embaixada da Grécia em Lisboa refere que a decisão da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) foi aprovada por unanimidade em setembro na 22.ª sessão do Comité Intergovernamental da instituição para a Promoção da Devolução de Bens Culturais aos seus Países de Origem (ICPRCP).

Segundo a decisão, que a embaixada grega realça ser algo inédito, uma vez que o comité apenas costuma aprovar recomendações, o Reino Unido é "convidado" a encetar um diálogo" com a Grécia para a devolução da estatuária, na maioria associada aos deuses gregos.

A Grécia, aliás, tem reclamado no próprio comité da UNESCO o início de conversações desde 1984, quando a questão foi levantada pela primeira vez pela então ministra da Cultura grega, Melina Merkouri, "mas sem resultado concreto devido às repetidas recusas do Reino Unido em iniciar o diálogo" com as autoridades de Atenas.

"Este desenvolvimento é especialmente importante porque sublinha a natureza intergovernamental desta questão e pressiona o Governo britânico a envolver-se no assunto que, até agora, tem sido menosprezado pelo lado britânico como uma disputa que recai exclusivamente na jurisdição do Museu Britânico" (onde grande parte das esculturas estão expostas desde 1817), refere-se no comunicado.

"A decisão reconhece as dimensões históricas, culturais, jurídicas e morais desta questão e da reunificação das esculturas do Pártenon", acrescenta-se no documento sobre as esculturas, que foram desmanteladas e transportadas para Londres em 1816.

O Museu Britânico, onde estão localizadas as Esculturas do Pártenon, está encerrado desde o início de 2020, devido a danos causados por infiltrações de água.

Fundado pelo Parlamento britânico em 1753, o museu adquiriu os mármores em 1816 a Thomas Bruce, um nobre e diplomata escocês mais conhecido como Lord Elgin, pelo valor de 35 mil libras esterlinas, preço que incluía também outras peças da Acrópole.

Na altura, os territórios que compõem o atual Estado helénico pertenciam ao Império Otomano, que o ocupou desde meados do século XV até ao século XIX (1830), quando a Grécia conquistou a independência.

Elgin zarpara para Istambul em 1799, durante o domínio otomano, para exercer o cargo de embaixador britânico junto do sultão Selim III, tendo, a partir daí, adquirido uma série de esculturas em mármore, muitas delas oriundas do Pártenon e idealizadas no século V antes de Cristo por Fídias, o célebre escultor da Grécia Antiga (490 a.C. - 430 a.C.), para embelezar o grande templo dedicado a Atena, a deusa grega da guerra, da civilização e da sabedoria.

Leia Também: Will Poulter vai ser o Adam Warlock de 'Guardians of the Galaxy Vol.3'

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório