Meteorologia

  • 22 JULHO 2019
Tempo
18º
MIN 16º MÁX 20º

Edição

O Teatro do Bairro Alto mostra-se fora de portas antes da reabertura

Antes de reabrir ao público, o Teatro do Bairro Alto (TBA), em Lisboa, terá uma programação fora de portas, entre a performance, a instalação e a conferência e que "privilegia formas íntimas e invulgares" de cultura.

O Teatro do Bairro Alto mostra-se fora de portas antes da reabertura
Notícias ao Minuto

14:25 - 20/05/19 por Lusa

Cultura Arte

Em comunicado, o TBA, dirigido por Francisco Frazão, revelou hoje que este programa, intitulado "(Quase) Teatro do Bairro Alto", acontecerá entre 14 de junho e 07 de julho, em vários espaços da cidade de Lisboa, e é "composto por projetos artísticos que não são necessariamente teatro".

O primeiro deles, a 14 e 15 de junho, na Sala das Janelas do Teatro da Politécnica, é "Gardens Speak", uma instalação sonora da artista libanesa Tania El Khoury, "que trabalha a interatividade com o público e o potencial ético e político desses encontros".

Num espaço com lotação para dez pessoas, a instalação sonora "é feita a partir das histórias de dez pessoas comuns que foram enterradas em jardins na Síria".

A 19 de junho, no Centro Coreográfico Lisboa, que partilha o edifício com o Teatro do Bairro Alto, está prevista uma conferência - para cerca de 50 pessoas - do arquivista e investigador Ian Nagoski, com histórias e "fragmentos musicais" de comunidades do antigo Império Otomano que migraram no século XIX para os Estados Unidos.

A 22 de junho, a arquiteta Joana Braga fará um percurso ao redor do teatro localizado na Rua Tenente Raul Cascais, intitulado "Partituras para ir". Dois dias depois participará numa conversa no Centro Coreográfico Lisboa, sobre "a caminhada como forma de pesquisa da cidade".

Neste mesmo espaço, o artista Augusto Corrieri apresentará, nos dias 26 e 27 de junho, a conferência-performance "In Place of a Show", centrada nos edifícios onde acontece a arte do teatro.

Andy Field, escritor e codirector do coletivo Forest Fringe, propõe "Lookout", a 29 e 30 de junho, no Centro Europeu Jean Monnet. A performance, que quer refletir sobre cidades, foi feita em colaboração crianças de uma escola primária.

A fechar, de 02 a 07 de julho, Patrícia Portela estreia "Parasomnia", uma instalação-performance espalhada por diversas salas da reitoria da Universidade Aberta, na Rua da Escola Politécnica, relacionada com os processos químicos e físicos associados ao sono.

Ainda sem data de reabetura anunciada, o Teatro do Bairro Alto revela apenas que voltará a abrir portas este ano, enquanto um novo teatro municipal de Lisboa.

"O TBA será um espaço dedicado à criação e apresentação de projetos artísticos experimentais, bem como à reflexão sobre os seus modos, tempos e espaços", lê-se na nota de intenções.

Francisco Frazão foi escolhido há um ano para dirigir o TBA renovado e, na altura, disse à agência Lusa que pretendia apostar na especialização no campo experimental de artistas emergentes e internacionais.

O diretor recorda que o TBA resulta do fecho de dois outros teatros na cidade: o Teatro da Cornucópia, que durante anos ocupou os espaços do Teatro do Bairro Alto e encerrou em 2016, e o Teatro Maria Matos, que está sem programação desde o verão passado e aguarda o fecho de um concurso público de concessão a privados.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório