Meteorologia

  • 20 SETEMBRO 2021
Tempo
18º
MIN 17º MÁX 26º

Edição

Vozes ao Minuto

Vozes ao Minuto

Vozes com opinião. Todos os dias.

"A perceção da importância da sustentabilidade mudou drasticamente"

O CEO da Corticeira Amorim, António Rios de Amorim, considera que a perceção sobre a sustentabilidade tem vindo a mudar ao longo da última década. Além disso, vê, no momento atual, uma "oportunidade de construir planos para reverter as fragilidades atuais em direção a um mundo mais sustentável".

"A perceção da importância da sustentabilidade mudou drasticamente"
Notícias ao Minuto

11/05/21 por Beatriz Vasconcelos

Economia Rios de Amorim

O impacto ambiental e a sustentabilidade são preocupações da Corticeira Amorim, que desde 2008 encomenda estudos sobre o impacto ambiental dos produtos de cortiça. Desde essa altura, a perceção da importância "mudou drasticamente", sublinhou o CEO da Corticeira Amorim, António Rios de Amorim, em entrevista, por email, ao Notícias ao Minuto

A matéria-prima da Corticeira Amorim - a cortiça - é, nas palavras de Rios de Amorim, "um material nobre que é oferecido pela natureza". Contudo, a empresa esforça-se por respeitar os ciclos de crescimento, "procurando constantemente reduzir os seus impactos e usando as práticas da economia circular sem qualquer desperdício de matéria-prima", referiu o CEO da Amorim, que recentemente foi reconduzido no cargo

Recentemente, a Corticeira lançou um novo sistema, o Corkeen, que serve de superfície amortecedora para parques infantis. A drenagem, a temperatura e a redução da propagação de microplásticos são algumas das vantagens do produto que pretende dar resposta à crescente tendência mundial relativamente à procura por soluções e materiais mais ecológicos.

Em que é que o sistema Corkeen se diferencia dos restantes que existem no mercado? 

O sistema Corkeen é uma solução revolucionária para superfícies amortecedoras de impacto para aplicação em parques infantis, instalado in situ e produzido com cortiça, uma matéria-prima 100% natural, reciclável e renovável.

Por se tratar de uma solução natural, quando comparado com outras soluções existentes no mercado, como por exemplo os sistemas que têm na sua constituição a borracha, o sistema Corkeen apresenta inúmeras vantagens. De destacar a sua excelente capacidade de drenagem, que permite que, mesmo após períodos de chuva, o pavimento seque rapidamente. Como a cortiça atua como um isolante natural, o sistema Corkeen consegue reduzir a temperatura da superfície em mais de 20%, evitando o sobreaquecimento da superfície. Este sistema reduz a propagação de microplásticos, contrariamente a soluções sintéticas que contêm grânulos de plástico e borracha, que acabam por poluir a natureza. A cortiça é, ainda, isenta de toxinas e de metais pesados como EDCs, VOCs, formaldeído ou PAHs. 

Notícias ao MinutoProjeto do Parque Infantil do Centro de Interpretação do Monsanto, com o sistema Corkeen© Corticeira Amorim

O sistema Corkeen apresenta também um desempenho técnico de última geração em concordância com as mais rigorosas normas de segurança - EN1176 e EN1177. Uma vez que é instalado no local como um sistema de duas camadas (uma camada base de absorção de impacto e uma camada superior de desgaste), o Corkeen proporciona uma superfície estável, uma vantagem em termos de acessibilidade quando comparado com outras soluções naturais, como é o caso da areia, da casca de pinheiro ou da estilha. Desta forma, os parques infantis que adotam a solução Corkeen não só são seguros e sustentáveis, como garantem uma maior acessibilidade a todos os utilizadores, mesmo numa cadeira de rodas ou em outros equipamentos de mobilidade.

A sustentabilidade é uma preocupação da Corticeira Amorim? 

A sustentabilidade é uma preocupação de sempre da Corticeira Amorim que trabalha de forma sustentável um material nobre que é oferecido pela natureza, respeitando os ciclos normais de crescimento, procurando constantemente reduzir os seus impactos e usando as práticas da economia circular sem qualquer desperdício de matéria-prima. Contribuindo ainda para iniciativas de reciclagem nos cinco continentes. Os esforços da Corticeira Amorim na promoção da gestão florestal sustentável, nas políticas de desenvolvimento florestal e na troca de conhecimentos com os produtores florestais são outros exemplos das preocupações da empresa em garantir que a extração cíclica da cortiça (de nove em nove anos), para além de não danificar os sobreiros, gera emprego, potencia o progresso social e origina serviços dos ecossistemas para toda a sociedade. Nomeadamente, a regulação do clima, a regulação do ciclo hidrológico, a prevenção de incêndios ou a manutenção de uma vasta biodiversidade, etc.

Os produtos da Corticeira Amorim contribuem igualmente para a descarbonização de diversas indústrias. As rolhas de cortiça são o melhor vedante de vinhos tranquilos, efervescentes e espirituosos para os clientes que exigem melhor qualidade, ao mesmo tempo que querem contribuir para a regulação do clima. Já no caso do setor da construção, por exemplo, os produtos da Corticeira Amorim possuem certificação da qualidade do ar e contribuem para certificações de construção sustentável, tendo a inovação e a economia circular no seu epicentro.

Acrescente-se que o primeiro relatório de sustentabilidade da Corticeira Amorim reporta a atividade desenvolvida em 2006, dando início a uma comunicação regular e estruturada das políticas e práticas ambientais e sociais da empresa. Comprovando desta forma o compromisso de longa data com o reporte público e regular do desempenho em matérias ambientais, sociais e de governance. Demonstra também o alinhamento da Corticeira Amorim com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ODS).

Estudos recentes indicam que por cada tonelada de cortiça produzida a floresta de sobreiros pode sequestrar até 73 toneladas de CO2

Quais são as características da cortiça - em particular, do Corkeen - que permitem que seja considerado um material mais sustentável?

A cortiça é uma matéria-prima totalmente natural, com propriedades únicas que lhe conferem um caráter inigualável. É leve, impermeável a líquidos e a gases, elástica e compressível, funciona como um isolante térmico e acústico, tem uma combustão lenta e é muito resistente ao atrito, sendo ainda hipoalergénica. É, ainda, um retentor natural de carbono. Estas características singulares são resultado da sua composição química, mas também da sua estrutura celular, tornando a cortiça num material único que combina desempenho com sustentabilidade.

Estudos recentes indicam que por cada tonelada de cortiça produzida a floresta de sobreiros pode sequestrar até 73 toneladas de CO2, um número impactante no que diz respeito à retenção de Gases Efeito de Estufa, sendo por isso uma ajuda preciosa no combate às alterações climáticas.

Ao ser produzido com cortiça, o sistema Corkeen beneficia na totalidade das singularidades desta matéria-prima. O seu caráter sustentável é ainda reforçado pelo facto de ser desenvolvido de acordo com os princípios da economia circular, já que a sua formulação resulta do aproveitamento de desperdícios da indústria da cortiça. A energia utilizada para a sua produção provém do uso de biomassa (pó de cortiça) e, no final do ciclo de vida, todos os materiais poderão ser reutilizáveis.

Desta forma, o sistema Corkeen é uma solução sustentável que contribui para a diminuição das emissões de CO2 na atmosfera, combatendo as aceleradas alterações climáticas e promovendo um planeta mais verde e saudável, permitindo que as crianças possam brincar em total sintonia e respeito com a natureza.

Em termos de internacionalização, até onde é que a Corticeira tenciona levar este material?

O sistema Corkeen foi desenvolvido para dar resposta à crescente tendência mundial no que se refere à procura por soluções e materiais mais ecológicos, que garantam qualidade e conforto, ao mesmo tempo que apresentam uma elevada performance técnica.

No que se refere à internacionalização, e contrariamente ao que seria de esperar, a primeira
instalação do sistema Corkeen não foi feita em Portugal, mas sim na Suécia, país onde estabelecemos contrato com o nosso primeiro Brand Master.

Tendo em conta que Corkeen é um sistema instalado in situ, e dada a necessidade de especialização ao nível da instalação foi, então, desenvolvido um novo modelo de negócio, que exigiu a constituição de uma nova empresa assente numa rede de Brand Masters (franchisados). Os Brand Masters Corkeen representam a marca na sua região e assumem a gestão da rede de instaladores em regime de exclusividade. Estas empresas têm reconhecida experiência e elevado conhecimento técnico na instalação de parques infantis, sendo certificadas para instalar e dar formação do sistema Corkeen a instaladores no seu território geográfico.

Dado o carácter inovador e das inúmeras vantagens do Corkeen, a rede de Brand Masters tem crescido muito rapidamente a nível global. À data, o Corkeen está representado em vários países, nomeadamente Suécia, Portugal, Reino Unido, França, Singapura, Malásia, Indonésia, Vietname, Tailândia, Filipinas, Myanmar, Laos, Camboja, Brunei, Holanda, Noruega, Dinamarca, Polónia e Nova Zelândia. O objetivo é continuar o processo de expansão da rede de Brand Masters a nível global para que o Corkeen e a cortiça sejam a opção de eleição nesta aplicação, o que seguramente contribuirá para um maior bem-estar das crianças e das comunidades, ao mesmo tempo que contribui para um presente e um futuro mais sustentáveis.

Estamos perante uma oportunidade de construir planos para reverter as fragilidades atuais em direção a um mundo mais sustentável

Considera que a pandemia se tornou num obstáculo à sustentabilidade ou pode ser encarada como uma oportunidade?

Os impactos da pandemia estão ligados a questões de sustentabilidade que vão desde a desigualdade até à escassez de recursos. Assim, acreditamos na Corticeira Amorim que estamos perante uma oportunidade de construir planos para reverter as fragilidades atuais em direção a um mundo mais sustentável, e evitar que algo como o que estamos a viver nos dias de hoje possa repetir-se.

A resposta à crise provocada pela pandemia é critica, mas os guiões para se conseguir essa
mudança já existem. Fazem parte da agenda das Nações Unidas para 2030 e foram aprovados em 2015 por 193 países. São eles os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS). Assim, entendemos que a resposta à pandemia passa por criar um novo modelo global para acabar com a pobreza, promover a prosperidade e o bem-estar de todos, proteger o ambiente e combater as alterações climáticas.

Há muito a retirar do momento em que vivemos. A pandemia colocou a descoberto uma série de fragilidades da sociedade atual e mostrou-nos que é urgente atuar. No entanto, também nos mostrou que quando necessário é possível uma mobilização à escala global e uma mudança rápida.

A empresa tem verificado que a perceção da importância da sustentabilidade mudou drasticamente

Quais são as metas da Corticeira Amorim em termos de sustentabilidade?

Na obrigatória batalha contra as alterações climáticas, a Corticeira Amorim procura acelerar a transição para uma bioeconomia circular e, apesar do notável aproveitamento de 100% da cortiça, a empresa continua a trabalhar na melhoria da eficiência do uso da cortiça ao longo do processo produtivo. Seja desenvolvendo novas aplicações, seja adotando tecnologias, processos e fórmulas ainda mais eficientes. A Corticeira Amorim privilegia em todos os processos operações que não produzem aumento de emissões de CO2 e reforça o recurso a energias renováveis. De resto, o recurso a energias renováveis traduzir-se-á num investimento de mais de 10 milhões de euros nos próximos quatro anos.

O incremento da sustentabilidade dos materiais e da circularidade dos processos, e a redução de emissões de CO2 dos resíduos e da poluição são também objetivos da Corticeira Amorim. A empresa foca-se não só no impacto da sua atividade, mas também no impacto na cadeia de valor. Assim, a Corticeira Amorim pretende continuar a aumentar quer o conhecimento sobre o impacto ambiental dos produtos de cortiça, quer o conhecimento sobre os ecossistemas que os mesmos produtos de cortiça viabilizam. Essa recolha pormenorizada de dados permite não só continuar a trabalhar na melhoria do impacto ambiental dos produtos e processos da Corticeira Amorim, mas também dos seus clientes ao fornecer informação relevante e quantificada sobre a contribuição ambiental dos produtos de cortiça.

Quanto à floresta, a Corticeira Amorim tem em curso o Projeto de Intervenção Florestal (PIF). Na verdade, a revolução está em marcha em 251 hectares de Montado com irrigação na Herdade da Venda Nova, em Alcácer do Sal. Mais de 100 mil sobreiros plantados com recurso a rega assistida.

Projeto liderado pela Corticeira Amorim, o PIF ambiciona nos próximos dez anos incrementar em 35% a produção de cortiça em Portugal. Todavia, a ambição da empresa é ainda maior: alargar o conhecimento; ser o centro de excelência de investigação e desenvolvimento do Montado; promover o Montado e os serviços dos ecossistemas associados; e apoiar os produtores florestais através da partilhando de conhecimento. No que concerne ao pilar social, a Corticeira Amorim definiu um Plano de Igualdade de Género com áreas prioritárias de intervenção para os anos subsequentes e com objetivos associados, desenhou um plano de formação para toda a população do universo Amorim, e estipulou que 2024 verá reduzida a zero (0) a taxa de frequência de acidentes.

Apesar do impacto da pandemia no último ano, considera que há uma maior procura por materiais sustentáveis?

Sim, a procura por produtos produzidos de forma sustentável tem aumentado globalmente nos últimos anos. Aliás, de acordo com um estudo da Nielsen, que entrevistou 30 mil consumidores em 60 países, as marcas de bens de consumo que demonstram um compromisso claro com a sustentabilidade superam aquelas marcas que não o fazem. Os resultados da Nielsen também indicam que os consumidores estão mais conscientes dos aspetos de sustentabilidade dos produtos e procuram, sobretudo, produtos e marcas que estejam de acordo com os seus valores pessoais.

A Corticeira Amorim encomendou os primeiros estudos sobre o Montado e o impacto ambiental dos produtos de cortiça em 2008. Desde então, a empresa tem verificado que a perceção da importância da sustentabilidade mudou drasticamente. Mais do que ver estes estudos como 'meros exercícios teóricos', como provavelmente acontecia há 10 anos, os stakeholders da Corticeira Amorim compreendem hoje os méritos e a importância de ter à sua disposição informação sobre os impactes ambientais dos diferentes produtos para tomar decisões informadas. Nenhum colaborador, cliente, fornecedor ou acionista fica indiferente às conclusões destes estudos, nem à importância da cortiça para a construção de modelo de desenvolvimento sustentável.

Leia Também: António Rios Amorim reconduzido como presidente executivo da Corticeira

Campo obrigatório