Meteorologia

  • 25 JULHO 2017
Tempo
17º
MIN 17º MÁX 17º

Edição

PCP questiona Governo sobre telecomunicações nas áreas afetadas

O grupo parlamentar comunista questionou hoje o Governo sobre a operacionalidade das telecomunicações nas áreas afetadas por incêndios e a possibilidade de recorrer à rádio estatal para comunicar diretamente com as populações em perigo.

PCP questiona Governo sobre telecomunicações nas áreas afetadas
Notícias ao Minuto

20:18 - 20/06/17 por Lusa

Política Parlamento

"Perguntamos ao Governo sobre as condições existentes e os meios disponíveis para, por exemplo, haver uma 'janela' regional ou horária em que a emissão, eventualmente através da onda média e dos emissores locais, possa servir para apoiar as pessoas nas operações quer de evacuação, quer de resgate ou combate aos sinistros", disse à agência Lusa o deputado do PCP Bruno Dias, recordando que as redes de telefone fixas e móveis têm sofrido muitas quebras de serviço.

Num requerimento dirigido aos ministérios da Administração Interna e do Planeamento e das Infraestruturas, o PCP pergunta qual é "o ponto de situação no acompanhamento à operacionalidade das redes de comunicações na zona do Pinhal Interior" e que medidas estão a ser desenvolvidas pelas operadoras e qual a articulação com a Autoridade Nacional de Comunicações (ANACOM).

"Que ponderação faz o Governo quanto à possibilidade de uma intervenção específica do serviço público de rádio no apoio às populações e às operações de socorro e de proteção civil, aproveitando os meios e capacidades existentes, por exemplo em onda média", interrogam os deputados comunistas, pedindo ainda esclarecimentos junto da RTP sobre as condições e meios necessários para esta hipótese.

Dos 40 incêndios a nível nacional, dez encontram-se em curso (incêndio em evolução sem limitação de área), cinco em resolução (incêndio sem perigo de propagação para além do perímetro já atingido) e 25 em conclusão (incêndio extinto, com pequenos focos de combustão dentro do perímetro do incêndio), segundo dados da Autoridade Nacional de Proteção Civil.

A maioria dos operacionais (2.221 do total de 2.816), das viaturas (749 do total de 928) e dos meios aéreos (21 do total de 24) que estão a combate os fogos que lavram em Portugal, estão destacados para os três grandes fogos nacionais, localizados nos concelhos de Pedrógão Grande (Leiria), Góis e Penela (Coimbra).

O incêndio que envolve mais meios no terreno continua a ser o de Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, que deflagrou na tarde de sábado e que se mantém em curso depois de já ter feito 64 vítimas mortais e 150 feridos, encontrando-se a ser combatido por 1.207 operacionais, apoiados por 405 veículos e 13 meios aéreos.

Outro dos principais incêndios a lavrar em Portugal é o fogo em Góis, no distrito de Coimbra, que deflagrou pelas 15:00 de sábado e que se mantém em curso, mobilizando 852 bombeiros, 292 viaturas e seis meios aéreos.

Campo obrigatório