Meteorologia

  • 28 SETEMBRO 2021
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 23º

Edição

A gaffe de Arménio sobre o rei mago "escurinho" da troika

No discurso que fez no final da manifestação de professores, no sábado na Praça do Rossio em Lisboa, o secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, fez uma ‘infeliz’ analogia entre a troika e os Reis Magos, referindo-se a Abebe Selassie como o “mais escurinho”. A polémica instalou-se depois nas redes sociais e até mereceu uma nota do professor Marcelo Rebelo de Sousa.

A gaffe de Arménio sobre o rei mago "escurinho" da troika

As palavras do último orador, no final da manifestação de professores no sábado em Lisboa, o secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, estão a provocar uma onda de polémica e indignação da esquerda à direita, passando mesmo pelo comentário do professor Marcelo Rebelo de Sousa.

Mas o que disse afinal Arménio Carlos? “Daqui a pouco vêm aí outra vez os três reis magos, um do Banco Central Europeu [Rasmus Rüffer], outra da Comissão Europeia [Jürgen Kröeger] e o mais escurinho, o do FMI [Abebe Selassie], e já se fala em mais medidas de austeridade”, afirmou o líder da CGTP.

Esta frase foi citada na edição de ontem do jornal Correio da Manhã e depressa se tornou viral nas redes sociais, com vozes da esquerda à direita a acusarem Arménio Carlos de racismo e xenofobia, e a qualificarem as suas declarações de inaceitáveis, graves e inqualificáveis.

No Facebook, destaca o Diário de Notícias (DN), entre outros, Daniel Oliveira, do Bloco de Esquerda, postou que “esta crise anda a fazer quase toda a gente perder o Norte e o Sul”. Já Rui Moreira, presidente da Associação Comercial do Porto, acrescentou que "se não fosse comunista, caia o 'Carmo e a Trindade'".

Mais tarde, no habitual comentário na TVI, Marcelo Rebelo de Sousa considerou não "haver necessidade” e que uma frase assim fica mal a qualquer pessoa, ainda mais a "um homem de esquerda".

Ao jornal i, o ex-ministro e antigo presidente da Câmara de Cascais, António Capucho, considera mesmo que o sindicalista “deveria apresentar as suas desculpas publicamente”.

Apesar das críticas, Arménio Carlos defende-se, também em declarações ao i, assegurando que “estava a fazer uma analogia entre a troika e os reis magos e toda a gente sabe que tanto num caso como noutro existem dois elementos brancos e um negro”, sublinhando que “isso não é racismo é um facto”.

“Mas há sempre quem se ocupe de arranjar problemas onde eles não existem, desviando as atenções do que realmente é importante”, considera o líder da CGTP, acrescentando que não está na sua “génese ter atitudes racistas ou xenófobas”.

E, “se por ventura alguém se sentiu incomodado, melindrado, (…), aproveito esta oportunidade para pedir desculpas”, declarou Arménio Carlos.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório