Meteorologia

  • 20 JULHO 2019
Tempo
18º
MIN 17º MÁX 21º

Edição

Disputa de cinco câmaras custou 3,2 milhões de euros a PS e PSD

As autárquicas de setembro de 2013 são um ?case study? no âmbito dos gastos levados a cabo pelos principais partidos em campanhas eleitorais. O Público fez um balanço das contas entregues pelos partidos, coligações e movimentos nas cinco maiores câmaras nacionais e chegou à conclusão que gastar mais não garante mais mandatos.

Disputa de cinco câmaras custou 3,2 milhões de euros a PS e PSD

Comecemos pelo Porto: o PS e a coligação PSD/PPM/MPT gastaram, em conjunto, 861 mil euros e conseguiram eleger, também em conjunto, seis vereadores. Com um terço do orçamento (255 mil euros), Rui Moreira conseguiu, sozinho, exatamente o mesmo número de eleitos, ganhando de forma surpreendente.

Este é apenas o primeiro exemplo de como gastar mais não quer dizer, necessariamente, garantir a vitória. É a conclusão do balanço feito pelo jornal Público aos gastos (despesas brutas, sem contar com receitas obtidas) entregues pelos partidos, coligações e movimentos no Tribunal Constitucional, relativos à conquista das cinco maiores câmaras municipais nacionais.

Em Lisboa, António Costa foi reeleito com 452.562 mil euros (muito perto do limite permitido por lei para despesas de campanha em Lisboa e no Porto – 460.080 euros), conseguindo dez vereadores, 41 mil euros por cada eleito. A coligação PSD/CDS/MPT gastou 444.489 euros e conseguiu quatro eleitos, custando já 111 mil euros cada um.

O social-democrata Carlos Carreiras conquistou o município de Cascais com gastos de 282.646 euros, mais do que a coligação PSD/CDS/MPT (245 mil euros). No entanto, os socialistas ficaram com exatamente metade (três) dos mandatos da direita (seis).

Já em Sintra, o PSD gastou 303 mil euros e o PS ficou-se pelos 128 mil euros, conseguindo eleger Basílio Horta com um diferença de dois mil votos. Em Vila Nova de Gaia, o socialista Eduardo Vítor Rodrigues ganhou com 198 mil euros, derrotando o social-democrata Carlos Abreu Amorim, que gastou mais de 274 mil euros.

No total, na campanha para as cinco câmaras, o PS teve despesas na ordem dos 1,473 milhões de euros, conseguindo três delas, ao passo que a coligação PSD/CDS/MPT gastou 1,716 milhões de euros para conseguir apenas uma.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório