Meteorologia

  • 19 MAIO 2024
Tempo
20º
MIN 12º MÁX 21º

PS contra o populismo promete defender democracia e social dos inimigos

O secretário-geral socialista comprometeu-se hoje com a defesa da democracia política, social e cultural "dos ataques dos novos e velhos inimigos", considerando que Abril é uma vitória dos portugueses cujos problemas "não se resolvem com o populismo".

PS contra o populismo promete defender democracia e social dos inimigos
Notícias ao Minuto

13:33 - 25/04/24 por Lusa

Política 25 Abril

No discurso da sessão solene dos 50 anos do 25 de Abril no parlamento, o seu primeiro na qualidade líder do PS, Pedro Nuno Santos enalteceu o movimento de capitães que "pôs fim à mais antiga ditadura da Europa Ocidental" quando Portugal "era um país de cidadãos de segunda e onde as mulheres eram cidadãs de terceira".

"As portas que Abril abriu transformaram um Estado repressivo num Estado de direito democrático e social. É verdade que a concretização dos sonhos de abril é um trabalho imperfeito e ainda inacabado, mas os portugueses venceram", defendeu Pedro Nuno, de cravo vermelho na lapela.

Sublinhando que a revolução "é mais do que história e mais do que memória", porque "Abril é vitória", o líder do PS avisou que "os avanços sociais e culturais geram muitas vezes reações de incompreensão e até de rejeição".

"O PS aqui estará para defender a democracia política e a democracia social e cultural dos ataques dos seus novos e velhos inimigos. Foi uma e outra que Abril construiu. Uma e outra estão sob ataque e uma e outra terão a nossa proteção", prometeu.

Segundo o líder socialista, "os desafios e os problemas que muitas famílias enfrentam não se resolvem com o populismo" que é "uma política que explora os nossos sentimentos mais negativos, uma política dura com os fracos porque lhe falta a coragem para ser dura com os fortes", um momento que lhe valeu uma das várias salvas de palmas que recebeu de toda a esquerda.

É com "o espírito da vitória do 25 de Abril" -- o "dia inicial" e que Pedro Nuno Santos disse não haver "outro igual" -- que o PS encara os problemas do país.

"São desafios e problemas que, 50 anos depois, não se resolvem com mais liberalismo e um Estado ao serviço da minoria", avisou.

Segundo Pedro Nuno Santos, "nos últimos 50 anos os portugueses conquistaram o direito a viverem com liberdade, a amarem quem quiserem e a constituir a família que desejam" e "conquistaram o direito a serem felizes, sem ter de se esconder ou sentir vergonha de como são e se sentem".

"Abril não proíbe nenhuma família, Abril é liberdade e alegria e as mulheres, nas últimas décadas, emanciparam-se e libertaram-se e passaram a não ter de pedir licença para procurarem a sua felicidade", defendeu.

A "partilha do poder e o fim da hegemonia do homem gera resistência", de acordo com o líder do PS, criticando quem "na direita radical a promova e a explore".

"Mas já não há recuo possível: as mulheres em Portugal já conquistaram o direito a perseguir os seus sonhos", disse.

Usando as palavras de Capicua - "eles têm medo que nós não tenhamos medo" -- Pedro Nuno deixou claro que os portugueses não têm medo.

"Nós sabemos bem, enquanto povo, o que está em causa: preservar e defender o que conquistámos; e resistir às tentativas de retrocesso social, económico e cultural", sintetizou.

Leia Também: PSD diz que políticos "estão ao serviço do povo"

Recomendados para si

;
Campo obrigatório