Meteorologia

  • 17 ABRIL 2024
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 28º

Montenegro tem precisado de esconder candidatos com "ideias do Chega"

A coordenadora do BE, Mariana Mortágua, considerou hoje que Luís Montenegro tem precisado de esconder candidatos que trazem para a AD "ideias que pertencem ao Chega", criticando declarações de um cabeça de lista que "negam as alterações climáticas".

Montenegro tem precisado de esconder candidatos com "ideias do Chega"
Notícias ao Minuto

14:39 - 01/03/24 por Lusa

Política Mariana Mortágua

No final de uma viagem de comboio entre a Covilhã e a Guarda, Mariana Mortágua foi questionada sobre declarações na quinta-feira do cabeça de lista da AD por Santarém, em especial ao afirmar que Portugal tem perdido investimento por "falsas razões climáticas" e que são proibidas "novas plantações às cegas" por "ideologias de extrema-esquerda".

"O que não deixo de notar é que desde que a campanha começou temos visto vários candidatos do PSD e da AD que acabam por ter que ser escondidos ou postos de lado pelo próprio líder da AD, Luís Montenegro", criticou.

Segundo a líder do BE, isso aconteceu com o presidente do PPM, Gonçalo da Câmara Pereira, que considerou "legítimo que um homem bata numa mulher" e também com o vice-presidente do CDS-PP, Paulo Núncio, ao defender um "novo referendo e a pôr em causa o direito civilizacional das mulheres ao aborto".

"Agora temos estas declarações do candidato do PSD e da AD sobre alterações climáticas, ou melhor, negando as alterações climáticas. Não nos parece que faça sentido, mas também o que leva a crer é que a cada mês, a cada dia, a cada semana que passa, Luís Montenegro vai tendo que esconder alguns candidatos do PSD que acabam por deixar entrar para dentro das ideias do PSD e da candidatura do PSD ideias que, na verdade, pertencem ao Chega", condenou.

Concretamente sobre as declarações de Eduardo Oliveira e Sousa, Mortágua avisou que "as alterações climáticas farão com que, em pouco tempo, 30% de produtividade da agricultura se perca", antecipando um problema grave com a distribuição da água, com a biodiversidade, com a excessiva utilização de pesticidas, o "que pode pôr em causa o futuro da produção agrícola em Portugal e até da soberania alimentar".

"É de todo o interesse dos agricultores que a agricultura possa ser adaptada e preparada para essas alterações porque elas são reais e elas existem", defendeu.

A líder do BE salientou que o país se deve preparar para essas alterações e "deve ter um forte financiamento à agricultura, aos pequenos agricultores e a quem quer fazer da agricultura uma atividade sustentável no país, em respeito pelas populações, pelo território, pela soberania alimentar".

Já sobre a notícia de hoje do jornal Nascer do Sol, que fala de uma nomeação da mãe de Mariana Mortágua numa altura em que se negociava o OE2021 que mereceu o voto contra do BE, a coordenadora bloquista começou por se rir pelo facto de a extrema-direita estar "muito interessada em inventar histórias" sobre a sua família.

Mortágua começou por referir que, antes mesmo de a notícia ter saído, já "o líder da extrema-direita estava a anunciar essa notícia" num comício precisamente na Guarda, o que considerou dizer "tudo sobre a veracidade de uma notícia que se desmente a ela própria"

Questionada sobre as críticas na véspera do líder do Chega, André Ventura - que disse que "as mentiras de Mariana Mortágua não acabam" e que é "a personificação, o símbolo, a expressão do que é a fraude e a burla que é a extrema-esquerda" -- a líder do BE desvalorizou e apontou que os elementos do Chega estão "muito incomodados porque o Bloco de Esquerda está empenhado em divulgar quem são os seus financiadores".

Numa intervenção num jantar-comício em Ourém na véspera, o antigo presidente da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) Eduardo Oliveira e Sousa defendeu que "a floresta não é apenas um parque temático ou um armazém de carbono, é economia".

Num discurso de 20 minutos recheado de críticas à atual ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, alertou para uma outra situação nos campos, onde "voltaram os roubos" do cobre, da cortiça, da azeitona, das pinhas ou das castanhas.

Leia Também: Diálogo? Mortágua responde a Tavares: "Não é momento de confundir"

Recomendados para si

;
Campo obrigatório