Meteorologia

  • 28 JUNHO 2022
Tempo
27º
MIN 15º MÁX 27º

"Insultuosas" e "sem pertinência". Ministro reage a críticas de Navalny

Opositor russo escreveu no Twitter, no passado dia 23, que Abramovich - cidadão português desde abril -, tinha conseguido "encontrar um país onde pode pagar alguns subornos", com as "autoridades portuguesas" a carregarem "malas com dinheiro". Santos Silva 'respondeu', afirmando que essa "ideia" é "insultuosa e não tem nenhum fundamento".

"Insultuosas" e "sem pertinência". Ministro reage a críticas de Navalny
Notícias ao Minuto

14:05 - 29/12/21 por Notícias ao Minuto

Política Augusto Santos Silva

A nacionalização do magnata Roman Abramovich - que desde o passado mês de abril é cidadão português - continua a fazer correr muita tinta. Depois de Alexei Navalny ter feito acusações contra o nosso país, asseverando que o russo "conseguiu encontrar um país onde pode pagar alguns subornos", foi o ministro Augusto Santos Silva a comentar a questão, afastando as críticas.

No briefing aos jornalistas no final da reunião do Conselho de Ministros, o governante considerou que as críticas do opositor de Vladimir Putin são "insultuosas" e "sem pertinência"

"Desde 2014, da aprovação da lei na Assembleia da República que permite a concessão da nacionalidade portuguesa a pessoas que são descendentes dos judeus sefarditas expulsos de Portugal no final do século XV, que milhares de pessoas têm utilizado essa faculdade que o Parlamento lhes deu para adquirirem a nacionalidade portuguesa", começou por frisar Santos Silva. 

Afirmando que leu a "crítica dirigida a Portugal" por Navalny, o ministro fez questão de salientar que é "profundamente injusta". "A ideia de que os funcionários públicos carregam malas de dinheiro é insultuosa e não tem nenhum fundamento", versou. 

"E como todos sabemos, quando fazemos críticas sem fundamento, essas críticas não têm nenhuma pertinência", terminou o ministro dos Negócios Estrangeiros.

Recorde-se que, numa dura 'thread' de mensagens publicadas no Twitter no passado dia 23, Alexei Navalny começou por referir que o "oligarca mais próximo de Putin, Roman Abramovich, revelou ter recebido a cidadania portuguesa. Cidadania de um país da NATO".

"Ele, finalmente, conseguiu encontrar um país onde pode pagar alguns subornos e fazer alguns pagamentos semi-oficiais e oficiais para 'entrar' na União Europeia e na NATO - do outro lado da linha da frente de Putin, por assim dizer", acrescentou o opositor russo. 

Num outro post, Navalny prosseguiu as duras críticas: "As autoridades portuguesas carregam malas com dinheiro. A economia dos Estados Unidos recebeu 350 milhões de dólares. Apresentadores de TV elogiam Putin pela sua luta contra a NATO enquanto espuma pela boca. Um ciclo perfeito de hipocrisia e corrupção."

Leia Também: Abramovich? "Conseguiu encontrar um país onde pode pagar alguns subornos"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório