Meteorologia

  • 21 FEVEREIRO 2020
Tempo
12º
MIN 11º MÁX 21º

Edição

"Ninguém apresentou refutações factuais do que diz essa resolução"

Rui Tavares, membro fundador do partido, afirmou esta manhã, no congresso do Livre, que esteve presente na 42.ª Assembleia do partido e que o órgão máximo entre congressos "fala verdade".

"Ninguém apresentou refutações factuais do que diz essa resolução"
Notícias ao Minuto

15:48 - 18/01/20 por Lusa

Política Rui Tavares

Rui Tavares revelou hoje ter estado presente na Assembleia que decidiu, por unanimidade, a proposta de retirada de confiança na deputada Joacine Katar Moreira mas não revelou se participou na votação.

Para o antigo eurodeputado, "a assembleia fala verdade".

"Ninguém apresentou refutações factuais do que diz essa resolução", declarou o membro fundador do Livre.

As declarações foram proferidas logo após o congresso do Livre ter adiado a decisão sobre a retirada da confiança política à deputada Joacine Katar Moreira, remetendo-a para os novos órgãos que serão eleitos no domingo.

Hoje, Rui Tavares votou a favor da proposta que previa o adiamento da decisão.

"Este processo não vai ser arrastado, não vai ser prolongado, vai ser concluído pelos próximos órgãos", disse o ex-eurodeputado, que acredita que os órgãos a ser eleitos não desautorizarão a assembleia cessante.

Rui Tavares voltou a referir que o partido valoriza mais os seus princípios "do que qualquer cargo político" e acrescentou que a resolução apresentada pela 42.ª Assembleia "é válida".

"Os cidadãos esperavam outro tipo de representação por parte do Livre" e esta situação é prejudicial ao partido, afirmou.

Questionado sobre o "experimentalismo" do Livre, nomeadamente o método de escolha de candidatos através de primárias, disse que nenhum partido pode dizer que tem um método "à prova" de "depois vir a descobrir" que "o exercício do mandato é diferente do que aquilo que estavam à espera".

Rui Tavares afirmou ainda que a "reflexão sobre a continuidade do mandato ou não cabe ao detentor do próprio mandato", mas o partido tem o "direito e dever" de dizer se "as coisas que se fazem em seu nome estão de acordo com procedimentos que o partido possa endossar".

O fundador do partido acrescentou que compreende a "inquietação" dos membros do Livre que votaram a favor de uma tomada de decisão durante o congresso que decorre hoje e no domingo em Lisboa, mas que "os princípios, valores e ideais defendem-se com princípios, valores e ideais".

Leia Também: Decisão sobre remoção de confiança a Joacine foi adiada

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório