Meteorologia

  • 20 ABRIL 2019
Tempo
19º
MIN 15º MÁX 22º

Edição

"Rio traz ao peito a medalha de quem nunca ganhou uma sondagem"

O presidente do PSD insistiu na quarta-feira à noite que é melhor a ganhar eleições do que sondagens, num discurso em que explicou a escolha dos candidatos às europeias e apelou à mobilização do partido contra a abstenção.

"Rio traz ao peito a medalha de quem nunca ganhou uma sondagem"
Notícias ao Minuto

06:31 - 14/03/19 por Lusa

Política Reunião

Na intervenção de abertura do Conselho Nacional, que decorreu em Coimbra, para aprovar a lista de candidatos do PSD às eleições europeias - saliente-se que o ex-ministro Miguel Poiares Maduro irá no 29.º e último lugar da lista, com a direção do partido a reiterar ainda o princípio de que os Açores apenas terão direito, nestas eleições, ao oitavo lugar -, segundo relatos da reunião, Rio recorreu à ironia para dizer que era um "tipo modesto" e não iria sequer tentar ganhar as sondagens, mas "apenas" as eleições e saudou a melhoria do clima interno no partido.

Em declarações aos jornalistas, a meio da reunião, o vogal da Comissão Política Nacional André Coelho Lima resumiu a intervenção de Rui Rio como "marcante e mobilizadora", com mensagens de "união do partido, de combate à abstenção e de fortalecimento da posição de Portugal na Europa".

"O dr. Rui Rio diz que traz uma medalha consigo ao peito, é que nunca ganhou uma sondagem e que nunca perdeu uma eleição", reiterou.

Também Paulo Rangel, novamente cabeça-de-lista do PSD às europeias, na sua intervenção perante os conselheiros, fez um discurso de mobilização interna, considerando ser preciso colocar o partido primeiro, a par de Portugal, porque só vencendo eleições os sociais-democratas poderão resolver os problemas do país.

André Coelho Lima apontou como objetivo do PSD vencer as europeias de 26 de maio, dizendo que o partido quer "continuar uma onda que se sente positiva e de aceitação crescente da mensagem do presidente do partido", em contraponto com "o crescente desânimo em relação ao Governo", ao PS e ao seu cabeça-de-lista às europeias, Pedro Marques.

"Alterou a sua personalidade para efeitos de campanha, é uma pessoa que tenta mascarar-se para as eleições europeias", criticou.

Questionado sobre as críticas do PSD/Açores, que não aceitou o oitavo lugar na lista ao Parlamento Europeu e não indicou qualquer candidato, o dirigente social-democrata apontou que "há sempre pessoas mais e menos satisfeitas quando se fazem listas" e desvalorizou a ameaça desta estrutura não fazer campanha.

"Isso não é uma possibilidade, os Açores fazem parte de Portugal, os Açores vão participar na campanha", afirmou.

Sobre a forma como vai ser feita a votação da lista, André Coelho Lima defendeu que a regra nos Conselhos Nacionais do PSD é o braço no ar, incluindo quando o partido escolheu candidatos a primeiros-ministros.

Já depois de Coelho Lima ter falado aos jornalistas, o líder da distrital de Lisboa do PSD, Pedro Pinto, apresentou um requerimento para que a votação da lista ao Parlamento Europeu seja feita de forma secreta, o que foi apreciado pela mesa do Conselho Nacional, vindo a confirmar-se.

A lista do PSD às Europeias viria então a ser aprovada com 91% dos votos por votação secreta

Há cinco anos, a lista de candidatos do PSD às eleições europeias, também encabeçada por Paulo Rangel, foi aprovada com 88% dos votos no Conselho Nacional - 75 votos a favor, seis contra, três brancos e um nulo - o que indicia ter existido também uma votação secreta.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório