Meteorologia

  • 13 JUNHO 2024
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 25º

Idosa 3 dias em cadeirão? "Prestação de cuidados foi efetuada", diz IGAS

Idosa terá estado três dias sentada num cadeirão nas urgências do Hospital de Loures por não ter vagas para ser internada. Processo de esclarecimento à qualidade dos serviços prestados aberto pela Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS) deu origem a um processo de inspeção, instaurado pela mesma entidade.

Idosa 3 dias em cadeirão? "Prestação de cuidados foi efetuada", diz IGAS
Notícias ao Minuto

11:15 - 11/06/24 por Notícias ao Minuto

País Hospital Beatriz Ângelo

A Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS) abriu em janeiro um processo de esclarecimento, concluído em maio, à qualidade dos serviços prestados pelo Hospital Beatriz Ângelo depois de ter sido noticiado que uma idosa teria ficado três dias num cadeirão no serviço de urgência.

Segundo elucida, esta terça-feira, a IGAS, nessa sequência determinou-se que "a prestação de cuidados [à utente] foi efetuada, embora com constrangimentos materiais e humanos".

Segundo comunicado enviado às redações, verificou-se que "a primeira observação médica [à doente] foi apenas efetuada no dia seguinte, pelas 9h35m, isto é, 16 horas e 35 minutos após a doente ter sido triada com tempo-alvo de atendimento de sessenta minutos. A segunda observação médica foi realizada no dia 24 de janeiro de 2024, volvidas 26 horas e 46 minutos da primeira observação e 43 horas e 25 minutos após a doente ter sido admitida no serviço de urgência".

Recorde-se que em causa está uma mulher, de 87 anos, que terá passado três dias nas urgências daquela unidade hospitalar, sem vaga para ser internada. A notícia foi avançada na altura pelo Correio da Manhã, que precisou que a mulher terá dado entrada na urgência na tarde de segunda-feira, 22 de janeiro, com sintomas de falta de ar e só foi vista por um médico cerca de 22 horas depois. Depois disso, a idosa ficou sentada num cadeirão, a inalar oxigénio, numa enfermaria daquele serviço, por aparente falta de vaga para internamento.

O incidente aconteceu numa altura em que a unidade hospitalar confirmava "o aumento de procura" neste serviço, mas não adiantou mais detalhes.

Saliente-se que após a abertura do processo de esclarecimento à qualidade dos serviços prestados pelo Hospital Beatriz Ângelo, que foi concluído a 21 de maio, o Inspetor-Geral da IGAS determinou por despacho que fosse instaurado "um processo de inspeção à qualidade dos serviços prestados, designadamente à prontidão da prestação de cuidados de saúde", pode ainda ler-se na mesma nota de imprensa a que o Notícias ao Minuto teve acesso.

Leia Também: Loures. "Grande afluência" nas urgências causa tempos de espera elevados

Recomendados para si

;
Campo obrigatório