Meteorologia

  • 21 JUNHO 2024
Tempo
22º
MIN 14º MÁX 24º

Trio tortura jovem com comportamento "desumano". Gravaram imagens

Três mulheres agrediram violentamente uma jovem de 24 anos que manteria uma relação amorosa com o marido de uma delas. Denúncia foi feita por uma pessoa a quem as mulheres passaram as imagens da agressão. Polícia deslocou-se ao local e "confirmou o cenário".

Trio tortura jovem com comportamento "desumano". Gravaram imagens
Notícias ao Minuto

19:48 - 25/05/24 por Notícias ao Minuto

País Lisboa

Três mulheres, com idades compreendidas entre os 29 e os 59 anos, foram detidas este sábado, depois de torturarem uma jovem numa habitação, em Lisboa.

A detenção foi feita através da Divisão Policial de Loures, e, segundo explica a Polícia de Segurança Publica (PSP) em comunicado enviado ao Notícias ao Minuto, a vítima, de 24 anos, foi agredida de forma "desumana e degradante" durante mais de uma hora.

Segundo a nota, uma das agressoras é casada com um homem que mantinha uma relação amorosa com a vítima, e que se encontraria nessa casa no momento da agressão.

A nota dá conta de que a esposa e outras duas mulheres, suas familiares, privaram a vítima "da liberdade com recurso a violência, infligindo-lhe agressões graves à sua integridade física com recurso a diversos objetos, destacando-se um ferro de engomar, uma colher de sopa e sapatos. Para além disso, sujeitaram-na a tratamentos cruéis, físicos e sexuais, designadamente rapando-lhe o cabelo e introduzindo-lhe, com violência, objetos (colher de massa) em zonas corporais erógenas".

Este comportamento foi gravado e as imagens partilhadas com terceiros. Uma das pessoas que visualizou esse vídeo deu o alerta às autoridades, o que permitiu "uma rápida deslocação ao local, onde [os agentes] vieram a confirmar o cenário, apresentando este sinais evidentes e concludentes do sucedido, conseguindo não só intercetar as autoras, como também libertar a vítima".

A vítima apresentava hematomas e escoriações, e foi de imediato conduzida ao hospital para receber tratamento médico. "O proprietário da casa foi devidamente identificado, sendo que a sua responsabilidade será devidamente apurada em sede de inquérito posterior tendo em que conta a aparente omissão na conduta de garante e proteção da vítima", lê-se no comunicado.

A situação foi comunicada à Polícia Judiciária e ao Ministério Público e as agressoras vão ser sujeitas a primeiro interrogatório para saberem quais as medidas de coação tidas como adequadas.

Leia Também: MP pede absolvição de agentes da PSP no caso de agressão a Cláudia Simões

Recomendados para si

;
Campo obrigatório