Meteorologia

  • 25 JUNHO 2024
Tempo
22º
MIN 17º MÁX 23º

Eleições intercalares em São Julião e Silva em Valença com 3 candidaturas

As eleições intercalares na União de Freguesias de São Julião e Silva, em Valença, convocadas para domingo após renúncia dos eleitos nas autárquicas de 2021, contam com três candidaturas, de acordo com a Comissão Nacional de Eleições (CNE).

Eleições intercalares em São Julião e Silva em Valença com 3 candidaturas
Notícias ao Minuto

12:00 - 09/09/22 por Lusa

País Autárquicas

No despacho de ordenação das candidaturas, disponível na página da Internet da CNE, no boletim de voto aparecerá em primeiro lugar a candidatura do presidente demissionário, Alexandre Lagoa, que volta a concorrer pelo movimento "Fortalecer São Julião e Silva".

Em segundo lugar aparecerá a candidatura da CDU -- Coligação Democrática Unitária, com o cabeça de lista Pedro Melo, cabendo o terceiro lugar à candidatura do movimento "JPSJS -- Juntos por São Julião e Silva", com Ana Catarina Esteves como cabeça de lista.

Às eleições autárquicas de setembro de 2021 concorreram seis listas.

Contactada pela agência Lusa, fonte da Câmara de Valença, segunda cidade do distrito de Viana do Castelo, adiantou hoje que no domingo serão instaladas duas mesas de voto, uma em cada freguesia da União de São Julião e Silva.

A União de Freguesias de São Julião e Silva vai a votos após renúncia dos eleitos nas últimas autárquicas, tendo sido criada uma Comissão Administrativa, conforme despacho publicado a 27 de julho em Diário da República (DR).

O documento remete para um despacho anterior, de 14 de julho, que justifica a realização do novo ato eleitoral.

Nesse documento, lê-se que as eleições intercalares nesta freguesia vão ocorrer porque aquele órgão "carece de condições de funcionamento".

"Considerando que o presidente da Junta de Freguesia da União de Freguesias de São Julião e Silva renunciou ao respetivo mandato em conjunto com todos os eleitos locais da lista mais votada para a Assembleia de Freguesia, carece aquele órgão de condições de funcionamento por o presidente da Junta ser o único que é diretamente eleito", refere o despacho.

No documento é ainda "confirmado que todos os membros eleitos da lista mais votada renunciaram ao mandato por considerarem não ter condições para a manutenção do exercício das funções inerentes".

"A renúncia de todos os cidadãos daquela lista inviabiliza, em definitivo, a possibilidade de se proceder à substituição do presidente da Junta", acrescenta a tutela no despacho.

Em causa está a renúncia de Alexandre Lagoa, eleito pelo Grupo de Cidadãos "José Monte - Fortalecer Valença".

Alexandre Lagoa foi eleito com 34,02% dos votos, o que corresponde a três mandatos, seguindo-se o PPD/PSD, com 22,99% (dois mandatos), PS, com 21,61% (um mandato), e o Nós Cidadãos!, com 17,01% (um mandato).

A CDU alcançou 1,38% dos votos e o Chega não arrecadou qualquer voto.

Em 2021, dos 558 eleitores inscritos, votaram 435.

A Comissão Administrativa designada a 27 de julho inclui os nomes de Alexandre Pereira Lagoa (Grupo de Cidadãos eleitores "José Monte - Fortalecer Valença"), Maria Olívia Duarte Afonso (Grupo de Cidadãos eleitores "José Monte - Fortalecer Valença") e Nathalie Alves Gonçalves da Silva (PPD/PSD).

Leia Também: Eleições municipais e regionais arrancam na Rússia

Recomendados para si

;
Campo obrigatório