Meteorologia

  • 18 AGOSTO 2022
Tempo
31º
MIN 17º MÁX 32º

Alugavam carros com documentos falsos e vendiam-nos no estrangeiro

Os detidos são cinco homens e uma mulher de nacionalidade portuguesa, com idades compreendidas entre os 20 e os 52 anos.

Alugavam carros com documentos falsos e vendiam-nos no estrangeiro
Notícias ao Minuto

11:54 - 06/07/22 por Notícias ao Minuto

País Polícia Judiciária

Seis pessoas foram detidas pela Polícia Judiciária, através da Diretoria do Norte, por suspeita da prática de crimes de associação criminosa, falsificação de documentos, burla qualificada e tráfico de estupefacientes. Em comunicado, esta quarta-feira enviado às redações, a autoridade revela que efetuou 19 buscas domiciliárias no âmbito de uma operação de combate ao tráfico e viciação de veículos.

“As detenções ocorreram no decurso de inquérito pendente, no qual se investiga um esquema de falsificação de documentos, legalização e venda de veículos automóveis de gama alta e média”, explica a PJ.

Os veículos eram adquiridos com recurso a crédito, obtido com documentação falsa, e “descaminhados, furtando-se os autores ao pagamento do respetivo aluguer”.

Depois, “eram submetidos a alterações documentais e colocados no estrangeiro, onde eram novamente inseridos no mercado, legalizados com recurso a documentação falsa, passando a circular com matrícula e documentos aparentemente válidos”.

Durante a investigação foi apreendida “uma viatura automóvel de gama média/alta, da marca BMW, tendo-se procedido à recolha de diversa documentação”. Na operação, participaram elementos da Polícia Judiciária de Vila Real, em colaboração com o Comando Metropolitano do Porto da PSP e do Posto Territorial da GNR da Póvoa de Varzim.

Os detidos são cinco homens e uma mulher de nacionalidade portuguesa, com idades compreendidas entre os 20 e os 52 anos. Dos seis detidos, um é comerciante de automóveis e os restantes não têm atividade formal conhecida.

Todos têm antecedentes por este tipo de ilícitos e outros e vão ser presentes à competente autoridade judiciária para primeiro interrogatório judicial e aplicação das medidas de coação tidas por adequadas.

Leia Também: Suspeito de abuso sexual de crianças em Viana do Castelo é internado

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório