Meteorologia

  • 23 SETEMBRO 2021
Tempo
19º
MIN 16º MÁX 23º

Edição

"Estamos honrados porque Portugal é isto: um ponto de partida e chegada"

Após o momento alto em que A Portuguesa soou bem alto no Estádio Olímpico de Tóquio, no Japão, Marcelo Rebelo de Sousa falou à RTP3. Pedro Pichardo venceu o ouro com um salto de 17,98 metros.

"Estamos honrados porque Portugal é isto: um ponto de partida e chegada"

Após o momento alto em que A Portuguesa soou bem alto no Estádio Olímpico de Tóquio, no Japão, Marcelo Rebelo de Sousa falou à RTP3, onde sublinhou o orgulho pelos feitos nacionais nos Jogos Olímpicos. "É sempre muito emocionante ouvir o hino nacional e ouvir a propósito de uma medalha de ouro que é muito prestigiante, numas olimpíadas muito difíceis", começou por salientar. 

O Presidente da República aproveitou o momento para "enviar um abraço a Pedro Pichardo" e "dizer como estamos honrados por duas razões"

"Estamos honrados pela medalha de ouro para Portugal, traduzida naquele hino que todos ouvimos sempre com emoção. Estamos honrados porque Portugal é isto: foi sempre um ponto de partida e de chegada", sublinhou o chefe de Estado. 

E explicou: "De partida dos nossos emigrantes e de chegada de imigrantes alheiros. Ao acolhermos de forma ecuménica, passámos a integrá-los naquilo que somos. E, portanto, a partir desse momento, passaram a ser portugueses". 

Marcelo destacou ainda que tal não se trata de "uma forma qualquer de prosseguirem a carreira", mas "porque é a maneira de sermos desde sempre, há séculos"

Uma palavra foi ainda dedicada a outro triplista, com o Presidente a referir que queria, neste momento, "abraçar Pedro Pichardo", desejando também "mandar um abraço muito grande a alguém que não subiu ao pódio, mas está sempre no pódio da nossa saudade: Nélson Évora".

Instado a comentar os desentendimentos entre Pichardo e Évora, Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de salientar: "Neste momento, o nosso pódio tem duas figuras. A figura de Pichardo, que realmente lá está por mérito próprio, porque é excecional e por mérito de Portugal que o soube acolher [...] e tem também, no mesmo pódio, Nélson Évora, que continua na nossa memória. Não o esquecemos".

De lembrar que Pedro Pichardo venceu o concurso com um salto de 17,98 metros, conquistando a primeira medalha de ouro para Portugal em Tóquio2020, depois da de prata de Patrícia Mamona na prova feminina do triplo salto e das de bronze do judoca Jorge Fonseca (-100 kg) e do canoísta Fernando Pimenta (K1 1.000).

Portugal superou os resultados alcançados em Los Angeles1984 e Atenas2004, edições em que subiu três vezes ao pódio, passando a totalizar 28 medalhas em Jogos Olímpicos (cinco de ouro, nove de prata e 14 de bronze), 12 das quais no atletismo, modalidade que proporcionou também os cinco títulos olímpicos.

O atleta natural de Cuba, de 28 anos, efetuou o seu melhor salto, de 17,98 metros, à terceira tentativa, e bateu o seu o recorde nacional por três centímetros, impondo-se ao chinês Yaming Zhu, com 17,57, e ao burquinense Fabrice Zango, com 17,47, que conquistaram as medalhas de prata e de bronze, respetivamente.

[Notícia atualizada às 11h27]

Leia Também: Pichardo recebe o ouro e arrasa Nelson Évora: "Nós nunca fomos amigos"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório