Meteorologia

  • 24 SETEMBRO 2021
Tempo
19º
MIN 15º MÁX 23º

Edição

As homenagens ao "construtor" do sonho de "viver em liberdade"

Considerada uma figura controversa, ninguém retira a Otelo Saraiva de Carvalho a importância que teve na conquista da liberdade em Portugal.

As homenagens ao "construtor" do sonho de "viver em liberdade"

Otelo Saraiva de Carvalho, militar e estratego do 25 de Abril de 1974, morreu hoje de madrugada aos 84 anos.

A notícia da sua morte desencadeou uma série de homenagens e bonitas palavras ao homem que fica conhecido por ter sido o encarregado de elaborar o plano de operações militares e, daí, ser conhecido como o "construtor" do 25 de Abril.

Marcelo Rebelo de Sousa considerou que "ainda é cedo para a história apreciar [Otelo] com a devida distância", embora seja "inquestionável a importância capital que teve no 25 de Abril". Uma importância que é reforçada pelo Governo, que em comunicado, recorda que o capitão de Abril foi determinante para que fosse uma revolução "sem derramamento de sangue".

Recorde abaixo todas as apalavras de apreço dirigidas a um homem cujo papel na conquista da liberdade em Portugal é considerada inquestionável.

António Costa e um dos símbolos do 25 de Abril

O primeiro-ministro, António Costa, honrou hoje a memória de Otelo Saraiva de Carvalho, um dos símbolos do 25 de Abril, elogiando a capacidade estratégica, dedicação e generosidade determinantes para uma Revolução dos Cravos "sem derramamento de sangue".

"A capacidade estratégica e operacional de Otelo Saraiva de Carvalho e a sua dedicação e generosidade foram decisivas para o sucesso, sem derramamento de sangue, da Revolução dos Cravos", elogiou. Na perspetiva de António Costa, Otelo Saraiva de Carvalho "tornou-se, por isso, e a justo título", um dos símbolos do 25 de Abril.

Marcelo e o "protagonista cimeiro" em momento histórico

O chefe de Estado considerou que "ainda é cedo para a história o apreciar com a devida distância", no entanto salienta que "parece inquestionável a importância capital que teve no 25 de Abril, o símbolo que constituiu de uma linha político-militar durante a revolução, que fica na memória de muitos portugueses associado a lances controversos no início" da democracia, "e que suscitou paixões, tal como rejeições".

"O maior símbolo individual do MFA" para Ferro Rodrigues
 
"Apesar dos excessos que se possam apontar, nomeadamente no período pós 25 de Abril, Otelo Saraiva de Carvalho foi, e será sempre considerado, o maior símbolo individual do Movimento das Forças Armadas", escreveu Ferro Rodrigues em homenagem ao homem que, segundo o presidente da Assembleia, concretizou o sonho de todos os que "ansiavam por viver em liberdade".

Rui Rio e o "papel corajoso" 

O presidente do PSD, Rui Rio, reconheceu hoje "o papel corajoso e decisivo" de Otelo Saraiva de Carvalho no 25 de Abril, considerando que será a história, com isenção, que avaliará o que "fez de bom e de mau".

Morte "acaba com uma época e uma utopia"
 
 A ativista política e médica Isabel do Carmo lamentou a morte de Otelo Saraiva de Carvalho, considerando que, com o desaparecimento do militar e estratego do 25 de Abril de 1974, "acaba também uma época e uma utopia".

"Esta manhã [ao saber da notícia da morte] senti uma coisa, senti que acabou, que, com [a morte de] este homem, acaba também uma época, uma utopia. Senti isso, emocionalmente. Senti a perda, o desaparecimento. Já não vai ser possível falar com ele", afirmou

No dia da morte, PCP põe de parte "atitudes e posicionamentos"

O Partido Comunista Português endereça ainda condolências à família e à Associação 25 de Abril.

"Sobre o falecimento de Otelo Saraiva de Carvalho deve registar-se no essencial o seu papel no levantamento militar do 25 de Abril. O momento do seu falecimento não é a ocasião para registar atitudes e posicionamentos que marcam o seu percurso político", refere uma nota do gabinete de imprensa do PCP.

BE agradece contributo imprescindível de um "construtor do 25 de Abril"

O BE agradeceu o "contributo imprescindível" de Otelo Saraiva de Carvalho na revolução que trouxe a liberdade a Portugal, considerando que foi um "construtor do 25 de Abril".

"Otelo Saraiva de Carvalho foi um construtor do 25 de Abril, estratega da Revolução que trouxe ao país a Liberdade, pôs fim à guerra e à colonização e abriu a esperança de uma democracia política e social".

Uma figura controversa, diz Raimundo Narciso

O antifascista e antigo membro do comité central do PCP Raimundo Narciso evocou hoje Otelo Saraiva de Carvalho como a "principal figura da revolução do 25 de Abril pelo seu papel na coordenação do movimento das Forças Armadas".

"É contudo do ponto de vista político uma figura controversa, mas teve o apoio da esquerda e dos populares e nunca deixou de ser uma figura carismática", observou.

Sem Otelo, seria "um mero golpe de Estado militar" e 25 de abril podia ser "mais violento"

O ex-militar Carlos Matos Gomes destacou o instinto de Otelo Saraiva de Carvalho de trazer o povo para a revolução do 25 de abril, que sem ele teria sido apenas um golpe de estado militar. "O grande relevo [de Otelo Saraiva de Carvalho] é o de ter tido o instinto de trazer o povo para a revolução, porque senão o 25 Abril teria sido um mero golpe de Estado militar", disse à agência Lusa Carlos Matos Gomes.

Já o militar de Abril Sousa e Castro disse que se não fossem as qualidades pessoais e militares de Otelo Saraiva de Carvalho, que faleceu hoje, aos 84 anos, a revolução poderia ter sido "mais violenta".

"Uma revolução paradigmática, que alcança os seus objetivos, derruba uma ditadura, e não produz vítimas ao Otelo se deve", afirmou Sousa e Castro em declarações à Lusa, lamentando a perda de "um amigo".

Leia Também: Morreu o capitão de Abril, Otelo Saraiva de Carvalho

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório