Meteorologia

  • 20 OUTUBRO 2021
Tempo
19º
MIN 16º MÁX 26º

Edição

Desconfinamento. Concelhos que seguem e os que se mantêm 'recuados'

O Governo fez nova avaliação à situação dos concelhos e decidiu manter Lisboa e mais nove concelhos 'recuados' e com regras mais restritivas.

Desconfinamento. Concelhos que seguem e os que se mantêm 'recuados'

Avaliada esta quinta-feira, em Conselho de Ministros, a situação epidemiológica nacional, o Governo determinou que a generalidade do país segue com o desconfinamento, mas há exceções.

Mas, anunciou a ministra da Presidência, "temos, neste momento, dez concelhos em situação diferente do que estará o resto do país". São eles: Albufeira, Arruda dos Vinhos, Braga, Cascais, Lisboa, Loulé, Odemira, Sertã, Sintra e Sesimbra.

De referir que Braga, Lisboa, Odemira já se encontravam 'recuados' e assim vão continuar.

Destaque ainda para 20 concelhos que ficam em alerta: Alcochete; Águeda; Almada; Amadora; Barreiro; Grândola; Lagos; Loures; Mafra; Moita; Montijo; Odivelas; Oeiras; Palmela; Sardoal; Seixal; Setúbal; Sines; Sobral de Monte Agraço; e Vila Franca de Xira. "Um número muito alargado, face à semana anterior", destacou Mariana Vieira da Silva.

"Todos estes concelhos (...) maioritariamente localizados na Área Metropolitana de Lisboa (AML), estão hoje em situação de alerta, ou seja, tem mais de 120 casos por 100 mil habitantes ou nas zonas de baixa densidade [populacional] mais de 240 casos por 100 mil habitantes", destacou a ministra, anunciando que, a partir das 15h de amanhã, na Área Metropolitana de Lisboa (AML) será "proibido entrar e sair ao fim de semana". A situação do país está "mais preocupante" do que há uma semana e a manterem-se estes números, "dificilmente" o país poderá avançar para a nova fase de desconfinamento

Os restantes 268 concelhos de Portugal Continental ficam na nova fase do plano de desconfinamento, em vigor desde 10 de junho, com um alívio das medidas para combater a pandemia de Covid-19, confirmou a ministra.

Nesses concelhos, recorde-se, o teletrabalho deixou de ser obrigatório, a restauração voltou a poder aceitar pessoas até à meia-noite e a poder fechar à 1h - ainda que com limite máximo de seis pessoas por mesa no interior ou 10 em esplanada -, e o comércio recuperou o horário do respetivo licenciamento.

Também os transportes públicos voltaram a poder ter uma lotação de dois terços ou a totalidade com lugares sentados, os espetáculos culturais passaram a ser permitidos até à meia-noite, e as salas de espetáculos autorizadas a uma lotação a 50%.

Regras mais restritivas para dez concelhos

Porém, no casos dos dez concelhos acima referidos, as regras que estarão em vigor vão continuar a ser mais restritas

• Teletrabalho mantém-se obrigatório quando as atividades o permitam;
• Restaurantes, cafés e pastelarias podem funcionar até às 22h30 (no interior, com um máximo de seis pessoas por grupo; em esplanada, dez pessoas por grupo);
• Espetáculos culturais até às 22h30;
• Casamentos e batizados com 50 % da lotação;
• Comércio a retalho alimentar e não alimentar até às 21h;
• Permissão de prática de todas as modalidades desportivas, sem público;
• Permissão de prática de atividade física ao ar livre e em ginásios;
• Eventos em exterior com diminuição de lotação, a definir pela Direção -Geral da Saúde (DGS);
• Lojas de Cidadão com atendimento presencial por marcação.

De referir que no caso de Sesimbra, que está acima dos 240 casos por 100 mil habitantes em duas avaliações consecutivas, a restauração terá de encerrar às 15h30 ao fim de semana.

Reveja aqui a conferência de imprensa no final do Conselho de Ministros:

[Notícia atualizada às 17h22]

Leia Também: AO MINUTO: Internamentos voltam a subir. Travão no desconfinamento

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório