Meteorologia

  • 23 OUTUBRO 2021
Tempo
19º
MIN 13º MÁX 25º

Edição

"Próxima fase de desconfinamento dificilmente se irá verificar"

O Governo admite atrasar a próxima fase de desconfinamento, prevista para dia 28 de junho. Para já, há três concelhos que se mantêm como estão - Braga, Lisboa e Odemira - e juntam-se a eles mais sete - Albufeira, Arruda dos Vinhos, Cascais, Loulé, Sertã e Sintra, assim como Sesimbra com medidas mais restritivas.

"Próxima fase de desconfinamento dificilmente se irá verificar"

A próxima fase do desconfinamento, prevista para dia 28 de junho, e que implicava o fim da lotação nos transportes públicos, por exemplo, "dificilmente se irá verificar", anunciou esta quinta-feira a ministra da Presidência no final da reunião do Conselho de Ministros.

"A situação epidemiológica tem vindo a deteriorar-se”, assinalou Mariana Vieira da Silva, sublinhando que a incidência é, atualmente, de 90,5 e o Rt de 1,13. "Estamos hoje, claramente, numa situação já bastante longe da zona verde e, portanto, o país está numa situação mais preocupante do que estava há uma semana", afirmou.

Que concelhos avançam ou recuam no desconfinamento?

Há 20 concelhos atualmente em situação de alerta, ou seja, que registaram esta semana mais de 120 casos por 100 mil habitantes. São eles: Alcochete, Águeda, Almada, Amadora, Barreiro, Grândola, Lagos, Loures, Mafra, Moita, Montijo, Odivelas, Oeiras, Palmela, Sardoal, Seixal, Setúbal, Sines, Sobral de Monte Agraço e Vila Franca de Xira.

"Apesar da deterioração a nível nacional, quatro concelhos recuperaram: Alcanena, Paredes de Coura, Santarém e Vale de Cambra", referiu Mariana Vieira da Silva.

Há ainda dez concelhos em risco, ou seja, que registaram mais de 240 casos por 100 mil habitantes. São eles: Albufeira, Arruda dos Vinhos, Braga, Cascais, Lisboa, Loulé, Odemira, Sertã e Sintra. Há ainda o caso de Sesimbra, que já regista estes valores há duas semanas consecutivas e, por isso, recua no desconfinamento e os estabelecimentos passam a encerrar às 15h30 ao fim de semana.

Lisboa já ultrapassou os 240 casos por cada 100 mil habitantes, mas não recua ainda no desconfinamento porque, de acordo com as regras, isso só acontece quando mantêm esse valor de incidência durante duas semanas consecutivas.

Proibido sair ou entrar na AML ao fim de semana

No caso de Lisboa, onde a situação é mais preocupante, o "Governo decidiu retomar a proibição de circulação de e para a Área Metropolitana de Lisboa ao fim de semana", anunciou ainda a ministra. A regra aplica-se já a partir de amanhã.

É uma medida que não estava prevista, como assinalou Mariana Vieira da Silva, mas que o Governo resolveu aplicar de modo a "não estender o fenómeno em Lisboa para outras regiões".

"Está previsto um reforço da fiscalização", referiu ainda a ministra, não apenas nestas movimentações, mas também em eventos.

O Governo esteve reunido, esta quinta-feira, em Conselho de Ministros, para reavaliar o processo de desconfinamento nos vários municípios do país. 

Recorde-se que, na semana passada, os concelhos de Lisboa, Braga, Odemira e Vale de Cambra não avançaram no plano de desconfinamento, que implicava um alargamento dos horários e o fim do teletrabalho obrigatório.

Ainda assim, a região de Lisboa e Vale do Tejo tem continuado a registar a maioria dos novos casos, suscitando a área metropolitana de Lisboa maiores preocupações.

Alguns especialistas consideram que Portugal já se encontra no início de uma quarta vaga da pandemia, cujo motor é Lisboa.

Reveja aqui a conferência de imprensa:

[Notícia atualizada às 17h02]

Leia Também: AO MINUTO: Objetivo? Uma "proteção mais rápida"; Governo (ainda) reunido

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório