Meteorologia

  • 24 JANEIRO 2022
Tempo
10º
MIN 6º MÁX 14º

Edição

AstraZeneca reafirma segurança da vacina com base em evidências robustas

Farmacêutica destaca que, em mais de 17 milhões de vacinados, "não foi observado um risco aumentado de formação de coágulos sanguíneos" relacionados com a vacina. Todavia, eventos raros tromboembólicos associados a trombocitopenia "necessitam de continuar a ser estudados",  pois "não foi possível determinar a relação causal, merecendo assim análises futuras".

AstraZeneca reafirma segurança da vacina com base em evidências robustas

Após os relatos recentes de eventos tromboembólicos, a AstraZeneca reafirma "o perfil de segurança da sua vacina para a Covid-19 com base em evidências científicas robustas", depois de o fármaco ter sido temporariamente por 21 países, incluindo Portugal, devido a casos (raros) de formação de coágulos sanguíneos em pessoas vacinadas. 

Num comunicado enviado às redações, a AstraZeneca Portugal sustenta que numa "revisão cuidada de todos os dados de segurança disponíveis", referentes a mais de 17 milhões de pessoas vacinadas na União Europeia (UE) e no Reino Unido com a vacina da AstraZeneca, "não foi observado um risco aumentado de formação de coágulos sanguíneos nos indivíduos vacinados".

Aliás, foi esta a conclusão da revisão cientifica realizada pela Agência Europeia do Medicamento (EMA), entidade que supervisiona e controla a segurança dos medicamentos na União Europeia, e que deu ontem 'luz verde' ao fármaco em causa. No mesmo sentido, a Organização Mundial de Saúde (OMS) sublinhou que os "dados disponíveis não sugerem aumento de coágulos sanguíneos".

A farmacêutica AstraZeneca sublinha que apenas os eventos raros tromboembólicos associados a trombocitopenia "necessitam de continuar a ser estudados",  uma vez que "não foi possível determinar a relação causal, merecendo assim análises futuras".

Além disso, acrescenta o comunicado, "não houve evidência de problemas associados a lotes específicos da vacina ou a locais de fabrico".

Na sequência das conclusões da EMA sobre o fármaco, vários países que tinham suspendido a administração da vacina, incluindo Portugal, anunciaram que vão retomar a vacinação da população com a vacina da AstraZeneca.

A farmacêutica assegura que "monitoriza continuamente a segurança da sua vacina e de todos os seus medicamentos através de processos robustos de recolha, análise e notificação de eventos adversos", sendo os mesmos "partilhados com autoridades reguladoras em todo o mundo". 

"Apoiar a vacinação da população a nível mundial no menor espaço de tempo possível, de modo a combater o flagelo da pandemia por Covid-19, continua a ser o nosso objetivo", finaliza a nota. 

Leia Também: AO MINUTO: Vacina "no centro da agenda" da UE. 3ª vaga nos Países Baixos?

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório