Meteorologia

  • 27 MAIO 2022
Tempo
21º
MIN 16º MÁX 34º

Costa pede "ação coordenada" da UE no reforço da confiança na vacinação

Primeiro-ministro reagiu às conclusões da Agência Europeia do Medicamento (EMA) sobre a vacina da AstraZeneca, que a considera "segura e eficaz. Após a suspensão do fármaco, é agora "fundamental" reforçar a confiança dos europeus na vacinação contra a Covid-19, frisou António Costa.

Costa pede "ação coordenada" da UE no reforço da confiança na vacinação
Notícias ao Minuto

22:36 - 18/03/21 por Melissa Lopes

País Vacina Covid-19

A Agência Europeia do Medicamento (EMA) "esclareceu todas as dúvidas sobre a vacina da AstraZeneca, considerando-a segura e eficaz", assinalou o primeiro-ministro no Twitter, horas depois da 'luz verde' do regulador europeu.

António Costa sublinhou que é "fundamental manter uma ação coordenada entre os Estados-membros da União Europeia, unidos em torno da Comissão Europeia, para reforçar a confiança dos Europeus".

Essa confiança, completou, é "indispensável ao sucesso do processo de vacinação"

Na sequência da decisão dos peritos da EMA, Portugal, França,  Itália e Alemanha já anunciaram que vão retomar a administração do fármaco. Ao todo, 21 países tinham tomado a decisão de suspender o uso desta vacina.

Por cá, a suspensão do fármaco atrasou a vacinação de perto de 120 mil pessoas. O responsável pela task-force da vacinação da Covid-19 assegurou, no entanto, que esse atraso será recuperado rapidamente. 

Durante a conferência que juntou DGS, Infarmed e task-force da vacinação, Graça Freitas apelou à vacinação, sublinhando que recusar ser vacinado, com a vacina da AstraZeneca ou de outra marca, "é uma hipótese que as pessoas não deviam colocar". "A recusa de uma vacina é recusar proteger-se e recusar proteger-se contra uma doença grave", frisou a responsável. 

Depois de uma investigação nos últimos dias do Comité de Avaliação dos Riscos em Farmacovigilância da Agência Europeia do Medicamento (EMA), a diretora executiva do regulador europeu, Emer Cooke, explicou hoje que a administração da vacina da AstraZeneca "não está associada a um aumento do risco de eventos tromboembólicos responsáveis pelos coágulos sanguíneos" nas pessoas vacinadas.

Emer Cooke sublinhou que estes foram episódios "raros, mas bastante graves" de um total de mais de sete milhões de pessoas vacinadas na União Europeia com o fármaco da AstraZeneca e de 11 milhões no Reino Unido. "As pessoas podem confiar na vacina", assegurou Emer Cooke, reforçando que estes não são casos "inesperados [...] porque se está a vacinar milhões e milhões de pessoas".

O aval da EMA surgiu um dia depois de a Organização Mundial de Saúde (OMS) também ter recomendado a continuação da administração da vacina da AstraZeneca contra a covid-19. "Neste momento, a OMS estima que o balanço risco/benefício está a inclinar-se a favor da vacina AstraZeneca e recomenda que as vacinas continuem" a ser administradas, disse o organismo em nota divulgada na quarta-feira.

Em Portugal já morreram 16.743 pessoas com Covid-19 dos 816.055 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Leia Também: AO MINUTO: Suspensão atrasou vacinação de "120 mil pessoas" em Portugal

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório