Meteorologia

  • 18 ABRIL 2021
Tempo
22º
MIN 11º MÁX 24º

Edição

Lote que levou Áustria a suspender vacina "não está a ser utilizado" cá

Depois de a Áustria ter suspendido a distribuição de um lote da vacina COVID da AstraZeneca, mediante duas notificações de reações adversas graves, o Infarmed assegura que o referido lote "não está a ser utilizado em Portugal". 

Lote que levou Áustria a suspender vacina "não está a ser utilizado" cá

O Infarmed assegura, este domingo, que o lote de vacinas da AstraZeneca que levou a Áustria a suspender a administração do fármaco contra a Covid-19 "não está a ser utilizado em Portugal".

A Áustria suspendeu hoje a distribuição de um lote da vacina Covid-19 da AstraZeneca depois de terem sido notificadas duas reações adversas graves com um mesmo lote. Em comunicado partilhado ao final da tarde, o Infarmed refere que foi informado do alerta da Agência Austríaca - BASG, após "a ocorrência de morte de uma pessoa inoculada com o fármaco e o registo de sintomas graves em outra pessoa igualmente vacinada".

As autoridades de saúde austríacas colocaram então o referido lote em quarentena enquanto irá decorrer a investigação sobre as reações adversas.

Por cá, a Autoridade do Medicamento analisou a documentação relativa "às receções das vacinas AstraZeneca chegadas a Portugal e confirma que o referido lote da vacina AZ, ABV 5300, não foi rececionado nem distribuído em Portugal".

Mais ainda. O Infarmed assegura que, "em termos de avaliação da segurança da vacina, em Portugal não foram notificados quaisquer casos desta natureza, nomeadamente relacionados com tromboembolismo pulmonar ou periférico com a vacina AZ".

O Infarmed cita ainda o comunicado da Agência Austríaca - BASG, de acordo com a qual, até ao momento, "não há evidências de uma relação causal com a vacinação. Com base nos dados clínicos conhecidos, não é possível estabelecer uma relação causal, uma vez que os eventos trombóticos em particular não estão entre os efeitos secundários conhecidos ou típicos da vacina em questão".

As autoridades de saúde portuguesas foram "informadas pela BASG que esta foi uma medida com caráter puramente precaucional".

De salientar que o óbito registado tratou-se de uma enfermeira do hospital austríaco de Zwettl, de 49 anos, que morreu 10 dias depois de ter recebido a vacina devido "a graves transtornos da coagulação".

O outro caso é uma enfermeira do mesmo hospital, de 35 anos, que sofreu uma embolia pulmonar após ter sido inoculada com o fármaco. Esta enfermeira encontra-se internada na unidade hospitalar em questão e o seu estado de saúde apresenta melhorias.

Leia Também: Áustria suspende administração de lote de vacina AstraZeneca após morte

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório