Meteorologia

  • 02 MARçO 2021
Tempo
10º
MIN 8º MÁX 18º

Edição

Covid-19: Aumento de casos na Madeira é repercussão do fim do ano

O presidente do Governo da Madeira afirmou hoje que o aumento de casos de covid-19 registado nos últimos dias na região é resultado das celebrações do fim do ano, assegurando fiscalização mais apertada nos bares aos fins de semana.

Covid-19: Aumento de casos na Madeira é repercussão do fim do ano
Notícias ao Minuto

19:14 - 18/01/21 por Lusa

País Madeira

Falando à margem da apresentação do relatório dos prejuízos provocados pelo temporal de 25 de dezembro nas freguesias de Ponta Delgada e Boaventura, no concelho de São Vicente, no norte da Madeira, Miguel Albuquerque insistiu que a "situação está controlada" na região, visto não haver transmissão comunitária no arquipélago.

"[Desde] Sexta-feira que estamos a sofrer a repercussão do fim do ano. Foram os 14 dias de incubação", declarou o governante madeirense.

O chefe do executivo regional, de coligação PSD/CDS, complementou que "a perspetiva" é ter esta semana uma subida de casos e, na próxima, uma diminuição devido ao confinamento em vigor na Madeira.

"Portanto, temos a situação neste momento controlada", reforçou, mencionando que Câmara de Lobos "é, neste momento, o concelho que inspira mais cuidados".

Miguel Albuquerque salientou que, hoje, estão internados no Hospital Dr. Nélio Mendonça, no Funchal, 73 doentes, dois dos quais nos cuidados intensivos, mas a região tem uma capacidade de 238 camas disponíveis para estas situações.

"Portanto, o número de camas e infraestrutura para o covid está apto, agora vai depender muito do nosso comportamento", sublinhou.

Também referiu que foram efetuados até ao momento 11.277 testes nas escolas da região e "apenas deram 40 positivo", o que representa "0,35% e revela que as escolas continuam a ser um exemplo de segurança em termos de covid", destacou.

Já foram vacinadas 4.117 pessoas da área da Saúde, acrescentou.

O presidente do Governo insular apelou ainda a um maior comportamento responsável por parte dos cidadãos, criticando os que nos fins de semana se têm concentrado nos estabelecimentos para conviver e beber poncha, sem usar máscaras e desrespeitando as regras do distanciamento social.

Caso não cumpram as regras "isto vai ser um problema", avisou, mencionando que estas situações têm sido "recorrentes". Para garantir que a situação não se repete no próximo fim de semana, Albuquerque anunciou um reforço da fiscalização.

"Isto vai ser tudo metido na ordem", assegurou, pedindo aos donos dos estabelecimentos para que colaborem com as autoridades, sublinhando que estas vão "atuar de forma muito rogorosa".

Segundo Miguel Albuquerque, o Governo Regional, na próxima quinta-feira, vai deixar "clarinho", numa resolução, o que é permitido nos estabelecimentos.

Argumentou que os profissionais dos serviços de saúde estão "a fazer sacrifícios 24 sobre 24 horas" e que a região vive uma "situação crítica".

"Queremos manter a economia aberta, estamos a tentar fazer o possível e, depois, temos comportamentos irresponsáveis" de pessoas e estabelecimentos que não cumprem as regras, afirmou

Para Miguel Albuquerque, as medidas adotadas na Madeira "são perfeitamente razoáveis", sendo objetivo não parar a economia, o trabalho e as escolas.

O presidente do Governo Regional admitiu que em 31 de janeiro as medidas restritivas possam ser "aliviadas".

"Temos de esperar esta semana até garantir a redução do número de casos e temos esperança de que isso vai acontecer", concluiu.

A Madeira registou no domingo o recorde de 156 novos casos de covid-19, elevando o total de infeções ativas para 1.600, das quais 1.481 são de transmissão local.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório