Meteorologia

  • 22 OUTUBRO 2020
Tempo
13º
MIN 12º MÁX 19º

Edição

Bruno de Carvalho desiste de queixa contra Rui Pinto

"Gostava de ver quem prevaricou a ser punido", disse o ex-presidente do Sporting na sessão desta manhã do julgamento, reiterando: "Espero que haja muita gente que, perante o que ele [Rui Pinto] descobriu, se sente no banco dos réus".

Bruno de Carvalho desiste de queixa contra Rui Pinto

"Gostava de ver quem prevaricou a ser punido". Quem o diz é Bruno de Carvalho, que desistiu da queixa contra Rui Pinto, considerando até o Football Leaks "benéfico", porque "veio demonstrar muita coisa". "Fui dizendo ao longo de cinco anos e meio muita coisa sobre futebol, sobre corrupção, e acho que o Football Leaks veio materializar em termos documentais aquilo que, muitas vezes, podia ser só considerado".

O 'projeto' de Rui Pinto "sedimentou uma série de informação", considerou ainda. "Não vou qualificar o crime ou não que Rui Pinto cometeu, o que tenho de dizer como cidadão é que houve uma série de processos que andaram muito mais depressa, outros que partiram a partir dali e que as pessoas se sentem muito mais confiantes a partir do momento em que um miúdo de 30 anos faz o que faz". 

Advogando que "os fins não justificam os meios" e que isso será matéria para o tribunal julgar, Bruno de Carvalho acrescentou, nestas declarações aos jornalistas à saída do tribunal, que "houve uma série de informação que saiu do Sporting" - como salário dos jogadores, de todas as modalidades - que "é muito mais grave e atentador ao bom nome do Sporting" e, vincou, "não vejo nem um processo, nem uma pessoa sentada"

Bruno de Carvalho admite "que o tribunal tem de fazer um trabalho complexo" e assinalou que o que Rui Pinto apurou foi "demasiado grave e importante não só para Portugal", mas "também não vou chegar aqui e dizer que o tribunal não tem um trabalho difícil que é de avaliação se houve ou não o cometer de alguns crimes"

"Acho que, devido à relevância, o tribunal tinha de olhar para este caso, ver a complexidade da informação que deu e chegarem ali a um acordo. Não é fácil", frisou, mas "espero que haja muita gente que, perante o que ele descobriu, se sente no banco dos réus"

"Espero não ver que estas provas não têm validade nenhuma por terem sido obtidas da forma como foram. Como cidadão não compreendo isso, mas não quero passar aqui a mensagem que toda a gente deve agora temer" (Bruno de Carvalho)

Rui Pinto, de 31 anos, responde por um total de 90 crimes: 68 de acesso indevido, 14 de violação de correspondência, seis de acesso ilegítimo, visando entidades como o Sporting, a Doyen, a sociedade de advogados PLMJ, a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e a Procuradoria-Geral da República (PGR), e ainda por sabotagem informática à SAD do Sporting e por extorsão, na forma tentada.

Este último crime diz respeito à Doyen e foi o que levou também à pronúncia do advogado Aníbal Pinto.

criador do Football Leaks encontra-se em liberdade desde 7 de agosto, "devido à sua colaboração" com a Polícia Judiciária (PJ) e ao seu "sentido crítico", mas está, por questões de segurança, inserido no programa de proteção de testemunhas em local não revelado e sob proteção policial.

[Notícia atualizada às 12h30]

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório