Meteorologia

  • 25 OUTUBRO 2020
Tempo
19º
MIN 13º MÁX 19º

Edição

Desistir agora? "Não posso, seria uma cobardia"

A ministra Marta Temido confessou, numa entrevista num formato mais intimista no 'Dia de Cristina', que se sente cansada, mas este não é o momento para desistir, isso, diz, "seria uma cobardia".

Desistir agora? "Não posso, seria uma cobardia"

Marta Temido marcou presença, esta terça-feira, no programa 'Dia de Cristina', na antena da TVI. Numa curta entrevista e num registo mais intimista, a ministra da Saúde emocionou-se, confessando sentir-se "muito cansada", mas desistir não é uma opção. "Não posso, seria uma cobardia. No entanto, estou disponível para ir embora quando os portugueses entenderem que é o momento", vincou.

Já quanto à evolução da pandemia em Portugal, e fazendo uma retrospetiva, Marta Temido destacou "os dias de grande pressão psicológica" e o "espírito de abnegação" dos profissionais de saúde que não medem esforços para combater a Covid-19. "Ninguém estava preparado para uma prova deste tipo e com duração que não conseguimos saber", disse.

A melhor defesa, sublinhou, "está nas mãos de cada um de nós. [É preciso] separarmo-nos até nos podermos abraçar outra vez]".

Ao longo destes seis meses, acredita a governante que nos "tornamos melhores a compreender o vírus. Utilizamos máscaras, álcool-gel, não nos abraçamos. A resposta médica aprendeu que medicamentos podem ser uma ajuda e que há formas de ventilação melhores do que outras. Foram seis meses de aprendizagem de um fenómeno totalmente novo".

Já quanto aos próximos seis meses "vão ser muito difíceis e exigentes para todos nós", pressagiou a ministra, esperando que, "em meados de 2021, tenhamos a vacina na qual os europeus estão a investir".

Apesar das adversidades, "temos de nos manter confiantes. Temos de resistir e, quando tivermos vontade de nos abraçar, temos de olhar para os olhos".

Marta Temido sublinhou ainda a coragem do povo português, "cumpridor e forte nos momentos mais difíceis. Não nos podemos deixar abater; somos bons a lutar".

Leia Também: Brigadas para intervir em lares: "Não estamos a correr atrás do prejuízo"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório