Meteorologia

  • 24 SETEMBRO 2020
Tempo
16º
MIN 16º MÁX 24º

Edição

Praias de Carcavelos e de S. Pedro do Estoril reabertas. Magoito fechada

As praias de Carcavelos e de São Pedro do Estoril, em Cascais, foram hoje reabertas ao público, depois de ter sido içada a bandeira vermelha por causa da presença de medusas 'Velella velella'. A praia do Magoito, em Sintra, foi interditada.

Praias de Carcavelos e de S. Pedro do Estoril reabertas. Magoito fechada

As praias de Carcavelos e de São Pedro do Estoril, em Cascais, que ontem foram interditadas a banhos após ter sido detetada a presença de medusas 'Velella velella', foram reabertas ao público, confirmou fonte da Capitania de Porto de Cascais ao Notícias ao Minuto.

A autoridade sublinhou que foi hasteada a bandeira vermelha na praia do Magoito, em Sintra, pelo mesmo motivo, depois de avaliação em conjunto com a delegada de Saúde e a Câmara Municipal de Sintra.

A Capitania indicou que a praia será "limpa durante a noite de hoje e de madrugada, sendo feita amanhã [quinta-feira] uma avaliação".

Em comunicado, a Câmara Municipal de Sintra confirmou a situação, indicando que foi hasteada ao início da tarde desta quarta-feira a bandeira vermelha na praia do Magoito, "após ter sido detetada a presença de uma quantidade significativa de organismos gelatinosos 'Velella velella'".

Recorde-se que a Autoridade Marítima Nacional (AMN) está hoje a avaliar a presença de medusas 'Velella velella' em 42 praias dos concelhos de Cascais, Sintra e Mafra, distrito de Lisboa.

Quanto à possibilidade de ser identificada a presença de medusas 'Velella velella' em outras praias da costa portuguesa, o comandante da AMN disse que "essa hipótese é real, pode vir a ocorrer o surgimento de novas medusas noutras praias".

Sobre a presença de medusas 'Velella velella' naquelas praias, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) disse hoje que "a espécie Velella velella (Veleiro) está de momento a ocorrer em pequenas quantidades por toda a costa oeste portuguesa, incluindo em algumas ilhas dos Açores", revelando que se trata de uma espécie de ocorrência comum e os seus tentáculos são pequenos e ligeiramente urticantes, pelo que é "aconselhável evitar o contacto direto com os mesmos de forma a evitar potenciais reações alérgicas, em caso de maior sensibilidade".

"Não havendo evidências de queimaduras ou problemas de saúde associados, é considerada inofensiva", assegurou o instituto.

No entanto, caso os banhistas tenham estado em contacto com as mesmas e tenham sido picados, devem aplicar bandas de gelo e, se possível, bicarbonato de sódio, recomendou o IPMA.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório