Meteorologia

  • 28 OUTUBRO 2020
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 20º

Edição

Dois mortos e um desaparecido à passagem de Elsa. Segue-se Fabien

A depressão Elsa que assola o país desde quarta-feira causou até esta sexta-feira mais de 6.200 ocorrências em todo o país e, pelo menos, duas mortes. Para esta sexta-feira, o IPMA prevê que o mau tempo abrande, mas seguir-se-á uma nova tempestade: Fabien. Melhorias no estado do tempo 'a sério' só mesmo no domingo.

O anoitecer desta quinta-feira confirmou as previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) quanto aos ventos fortes, precipitação intensa e agitação marítima, efeitos da passagem da depressão Elsa. Os últimos dados apontam para mais de 6.200 ocorrências desde quarta-feira, maioritariamente quedas de árvores e de estruturas e inundações. 

Na noite anterior, a zona Norte do país tinha sido a mais afetada, mas ontem o mau tempo estendeu-se a todo o país e fez as primeiras vítimas mortais: um homem de 50 anos no Montijo, após a queda de uma árvore, e um homem em Castro Daire, após o desabamento da sua casa. Há uma pessoa desaparecida na mesma localidade depois de um aluimento de terras, na Estrada Nacional 2, na freguesia de Ribolhos. Fonte da Proteção Civil de Viseu indicou ao Notícias ao Minuto que as buscas foram retomadas esta manhã, cerca das 8h00.

Ainda de acordo com o último balanço da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), feito às 9h desta sexta-feira à Lusa,  70 pessoas ficaram desalojadas na sequência do mau tempo. Foram ainda ativados o plano municipal de emergência da Mealhada e o plano distrital especial de cheias de Coimbra.

A principal preocupação da Proteção Civil prende-se com a subida do nível das águas de cinco rios que poderão causar cheias. A baixa de Águeda, aliás, já inundou devido às descargas "brutais" da Barragem de Ribeiradio, no concelho vizinho de Sever do Vouga. A subida do caudal do Tâmega preocupa, também, em Chaves e em Amarante. O rio Douro também já galgou as margens e inundou zonas ribeirinhas de Vila Nova de Gaia e do Porto. 

A noite passada viria a transformar-se num caos nos transportes, com várias estradas cortadas, linhas ferroviárias e fluviais. A Área Metropolitana de Lisboa foi especialmente afetada, com a ligação entre a capital e a margem sul do Tejo a serem interrompidas durante a tarde até hoje de manhã, pelas 6h00, altura em que foram retomadas. Na Ponte 25 de Abril e na Ponte Vasco da Gama a circulação foi interdita a pesados com lona e a motociclos

Na Trofa, a estação ferroviária inundou e os passageiros ficaram retidos, tendo alguns sido retirados de moto 4.  A passagem da depressão Elsa causou ainda danos "muito significativos" na rede elétrica da EDP

Os efeitos da depressão Elsa fizeram-se sentir também em Espanha, onde há também a lamentar uma vítima mortal. Um homem morreu na localidade de Puenxo, nas Astúrias, onde os ventos que atingiram os 160 quilómetros por hora, segundo a agência de notícias espanhola EFE.

Elsa abranda, mas segue-se Fabien

De acordo com o IPMA, doze distritos de Portugal continental e a costa norte da Madeira estão esta sexta-feira sob aviso laranja. O aviso vermelho, o mais alto de quatro níveis, que se mantinha ativo nos distritos de Viseu, Guarda, Castelo Branco, Coimbra e Aveiro devido a rajadas de vento, foi retirado cerca das 03h00. A partir dessa hora e até ao meio-dia estão com aviso laranja - o segundo mais grave - os distritos de toda a costa continental e a costa norte da Madeira, pelo perigo de agitação no mar.

Leiria, Santarém e Portalegre estão ainda sob aviso laranja devido às previsões de precipitação forte entre as 12h00 e as 15h00 nos dois primeiros casos e entre as 12h00 e as 18h00 no caso de Portalegre.

IPMA colocou também Guarda, Castelo Branco e Évora sob aviso amarelo - o terceiro da escala - por causa do vento, e até às 12h00 nos distritos mais a norte e, em Évora, devido ao vento (até às 18h00) e à chuva (até às 06h00). O mapa do instituto mostra apenas três distritos a verde, ou seja, sem avisos relativos às condições do tempo: Viseu, Vila Real e Bragança.

IPMA prevê que durante a madrugada a chuva persista em todo o território e entre o fim da manhã e o fim da tarde de sexta-feira nas regiões Centro e Sul. A nota acrescenta que na costa ocidental as ondas poderão agitar os sete metros e na costa sul os cinco metros.

Entretanto, IPMA alertou também para os efeitos de uma nova depressão, denominada Fabien, que atingirá Portugal no sábado.

Segundo o IPMA, o Norte e o Centro serão as zonas do país mais afetadas por esta depressão, estando previstos intensos períodos de chuva e fortes rajadas de vento.

A nota refere ainda que haverá "vento forte de sudoeste", prevendo-se que as rajadas atinjam valores de 90 quilómetros por hora no litoral norte e centro e 120 quilómetros por hora nas terras altas.

"A agitação marítima associada ao Fabien irá também fazer-se sentir na costa ocidental, em especial no litoral norte", acrescentou a nota.

Contudo, prevê-se que os efeitos da depressão Fabien não apresentem em Portugal continental a mesma intensidade do que os da tempestade Elsa, "em particular em termos de vento e com mais significado em termos de precipitação".

Estas depressões que atingem a península Ibérica estão a provocar o vento muito forte que se faz sentir em Portugal e Espanha desde quinta-feira à noite.IPMA prevê uma melhoria gradual do estado do tempo a partir de domingo.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório