Meteorologia

  • 13 DEZEMBRO 2019
Tempo
14º
MIN 13º MÁX 17º

Edição

INEM abre inquérito após morte de Carlos Amaral Dias dentro de ambulância

Psicanalista morreu esta terça-feira em Lisboa.

INEM abre inquérito após morte de Carlos Amaral Dias dentro de ambulância

O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) abriu um inquérito interno após a morte de Carlos Amaral Dias numa ambulância, avança a TVI24. A intenção é "aferir com rigor todas as circunstâncias relacionadas com a situação e apuramento de eventuais responsabilidades". O psicanalista morreu esta terça-feira em Lisboa.

O INEM explica, em comunicado, que na manhã de ontem o Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) recebeu um pedido de socorro para um homem de 73 anos com queixas de dificuldade respiratória, "tendo em consideração os sinais e sintomas referidos pelo contactante e após realizar a respetiva triagem clínica, o CODU acionou imediatamente uma Ambulância de Socorro dos Bombeiros Voluntários (BV) do Beato", cita o canal televisivo. 

"O INEM lamenta profundamente o desfecho que a situação veio a conhecer e apresenta as mais sinceras e sentidas condolências aos familiares e amigos de Carlos Amaral Dias", lê-se na nota, também citada pela agência Lusa.

Este esclarecimento surge na sequência de uma notícia do jornal Correio da Manhã, a dar conta de que Carlos Amaral Dias morreu na ambulância a caminho do hospital e que o processo de socorro, que incluiu outras chamadas além da primeira se estendeu por quase duas horas.

O psicanalista Carlos Amaral Dias

Carlos Augusto Amaral Dias abandonou há cerca de um mês, a seu pedido, a direção do Instituto Superior Miguel Torga (ISMT), à frente do qual esteve mais de duas décadas, sendo designadamente o principal responsável pela afirmação e crescimento do estabelecimento, no qual foi o impulsionador da criação da maior parte das suas licenciaturas.

Amaral Dias foi catedrático da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação de Coimbra (FPCEUC) -- onde se doutorou, depois de se ter licenciado em psiquiatria também na Universidade de Coimbra -- e foi docente do Instituto Superior de Psicologia Aplicada, em Lisboa, cidade onde manteve durante vários anos consultório médico.

Foi presidente da Sociedade Portuguesa de Psicanálise e da Sociedade Portuguesa de Psicodrama Psicanalítico de Grupo, vice-presidente da Academia Internacional de Psicologia e coordenador do Nusiaf (Núcleo de Seguimento Infantil e Ação Familiar) da FPCEUC e dirigiu a Revista Portuguesa de Psicanálise.

Pai da psicóloga e ex-deputada Joana Amaral Dias e do gestor Henrique Amaral Dias, o psicanalista dirigiu e participou em diversos programas radiofónicos, como 'O Inferno Somos Nós' e 'Freud e Maquiavel', na TSF, ou 'Alma Nostra', na Antena 1.

Foi autor de diversas obras, entre as quais 'Modelos de Interpretação em Psicanálise', 'Freud para Além de Freud', 'Bion Hoje', 'O Obscuro Fio do Desejo' em 'Para uma Psicanálise da Relação'.

[Notícia atualizada às 18h45]

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório