Meteorologia

  • 12 NOVEMBRO 2019
Tempo
16º
MIN 12º MÁX 18º

Edição

Homem detido no Algarve é um dos maiores pedófilos da Igreja Católica

Antigo padre irlandês admitiu ter violado e abusado sexualmente de mais de 20 crianças nos anos 70 e 80.

Homem detido no Algarve é um dos maiores pedófilos da Igreja Católica

A Polícia Judiciária deteve no Algarve, esta segunda-feira (dia 21), um homem de nacionalidade irlandesa, de 74 anos, sobre o qual pendia um mandado de detenção europeu.

Sabe-se agora que o detido é Oliver O’Grady que estava a ser procurado pelas autoridades da Irlanda por suspeitas de pornografia de menores.

O suspeito vivia desde 2018 em Loulé, para onde fugiu após reincidir. De acordo com o jornal Mirror, Oliver O’Grady é um dos maiores pedófilos da Igreja Católica.

Em 1993, quando era padre na Califórnia foi condenado a 14 anos de prisão por crimes de abuso sexual de crianças. Cumpriu metade da pena nos EUA e foi deportado para a Irlanda. Entretanto mudou-se para a Holanda onde, apesar do cadastro, acabou por ser voluntário numa paróquia em Roterdão, onde chegou mesmo a organizar festas infantis.

Mas o vasto historial de crimes é ainda maior do que se pensava. Em 2006, o pedófilo admitiu ter violado e abusado de mais de 20 crianças no documentário ‘Deliver us from evil’ (‘Livrai-nos do mal’, em português) que revelava crimes de abuso sexual dentro da Igreja Católica e  a forma como esta reagiu a estes crimes.

No vídeo acima é possível ver algumas das cenas gravadas com Oliver O’Grady para o documentário sobre pedófilia na Igreja Católica. Aqui ele admite, serenamente e sem qualquer tipo de vergonha, sentir-se atraído por crianças.

Questionado sobre se sente excitado ao olhar para mulheres responde "não". Dá a mesma resposta sobre homens, mas quanto a crianças afirma sem pudor: "Talvez". E por crianças em fato de banho? "Sim". E crianças em roupa interior? "Sim!". E crianças nuas? "Sim, sim!".

Refira-se que em 2010, voltou a ser detido depois de se esquecer de um computador num avião e de a polícia ter encontrado nele mais de 280 mil imagens, seis horas de vídeo e 500 páginas de discussão sobre pornografia infantil. Nessa altura foi condenado a três anos de prisão.

As autoridades irlandesas mantiveram-no debaixo de olho e acreditam que o idoso reincidiu. No final do ano passado, deixaram de 'vê-lo'. Já tinha fugido para Portugal.

Tal como indicava no comunicado enviado pela PJ ao Notícias ao Minuto, Oliver O’Grady está em prisão preventiva até ser entregue às autoridades irlandesas.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório