Meteorologia

  • 24 JANEIRO 2020
Tempo
10º
MIN 8º MÁX 14º

Edição

Marcelo vê como "ponto positivo" retoma das negociações com professores

O Presidente da República vê como "ponto positivo" as negociações do Governo com os sindicatos de professores, apesar da falta de acordo quanto à contagem do tempo de serviço, no respeito pela determinação da Lei do Orçamento do Estado.

Marcelo vê como "ponto positivo" retoma das negociações com professores

"Em relação aos professores, há um ponto positivo, é que foi respeitada a Lei do Orçamento quanto à existência de negociações e há ainda uma reunião complementar na próxima segunda-feira", disse Marcelo Rebelo de Sousa.

O chefe de Estado notou, porém, que "outra questão é o acordo sobre o conteúdo" das negociações, levando em conta as recentes declarações do Governo e das estruturas representativas dos professores.

Sem valorar os argumentos das partes envolvidas, Marcelo Rebelo de Sousa salientou que, havendo um novo diploma governamental que venha a ser objeto de "eventual promulgação", dará "espaço a que o parlamento, se quiser apreciá-lo, subsequentemente", permita aos vários partidos que discordaram da posição do Governo manifestarem as suas escolhas.

O Presidente da República, que falava à margem do lançamento do Prémio Firma & Futuro, em Carcavelos, distrito de Lisboa, na Nova 'School of Business & Economics', frisou que cabe ao chefe de Estado fazer de "árbitro a pensar no interesse nacional" e que também "é natural que cada partido puxe a brasa à sua sardinha".

Para Marcelo Rebelo de Sousa, a sua missão passa por procurar estabelecer pontes na sociedade, para lá das divergências entre partidos, "que são normais em democracia", ou entre sindicatos e patrões.

Os sindicatos de professores anunciaram hoje que vão realizar uma manifestação nacional em 23 de março em Lisboa como forma de luta pela recuperação integral do tempo de serviço congelado.

A decisão foi anunciada depois de uma reunião da plataforma que reúne as dez estruturas sindicais que têm negociado com o Governo a recuperação do tempo de serviço congelado e que na segunda-feira estiveram reunidos com representantes dos ministérios da Educação e das Finanças que voltaram a apresentar a proposta de recuperação de dois anos e nove meses e 18 dias de tempo de serviço, quando os professores exigem a reposição de nove anos, quatro meses e dois dias.

O Presidente encerrou a sessão de lançamento do Prémio Firma & Futuro, resultante de uma parceria entre a Firma e a Nova SBE, que procura premiar a excelência académica em várias áreas do saber.

A primeira edição do prémio é dedicada ao tema "Como Transformar Portugal na Economia mais Competitiva do Mundo", tema debatido por um painel composto por personalidades do tecido empresarial e académico português, lançado sob a forma de desafio aos estudantes da faculdade.

As ideias dos participantes serão avaliadas por um júri a designar pela Firma e os finalistas do concurso são conhecidos em setembro.

Aos alunos da Nova SBE presentes na sessão de lançamento o prémio, Marcelo Rebelo de Sousa vincou que está nas suas mãos "acelerar a mudança da sociedade portuguesa" num contexto internacional.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório