Meteorologia

  • 18 ABRIL 2019
Tempo
16º
MIN 15º MÁX 17º

Edição

Inspetores e demais pessoal da Polícia Judiciária hoje em greve

Os inspetores, seguranças e pessoal administrativo da Judiciária cumprem hoje o primeiro de vários dias de greve, em protesto contra o atraso na revisão das carreiras e na aprovação da nova lei orgânica desta polícia.

Inspetores e demais pessoal da Polícia Judiciária hoje em greve
Notícias ao Minuto

06:06 - 04/02/19 por Lusa

País Protestos

As três estruturas sindicais que representam inspetores, seguranças e pessoal administrativo da PJ marcaram greves para a primeira semana deste mês (4 a 8), paralisando várias horas por dia, em regime de rotatividade. As greves prosseguem nos dias 11 e 12.

Além disso, entre hoje e 5 de março está prevista uma paralisação ao trabalho de prevenção e às horas extraordinárias.

Recentemente, o presidente da Associação Sindical dos Funcionários (ASFIC) da PJ justificou o protesto com o "preocupante estado a que os sucessivos governos deixaram chegar a Polícia Judiciária", criticando os "constantes adiamentos, manobras dilatórias e ausências de respostas concretas e necessárias por parte do Governo face ao que durante os últimos três anos lhes foi apresentado".

Entre outras questões, disse, está em causa a ausência de revisão do estatuto das carreiras profissionais da PJ, a ausência da revisão da lei orgânica da PJ, a crónica falta de recursos humanos e materiais e a sucessiva recusa da tutela em promover a reposição dos escalões que foram congelados.

Ricardo Valadas desafiou o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, a visitar a PJ para se "inteirar dos problemas" desta polícia que combate a criminalidade organizada e a corrupção.

"Reunião inconclusiva"

A ministra Francisca Van Dunem reuniu-se no passado dia 29 de janeiro com os sindicatos que representam os investigadores criminais, seguranças e pessoal administrativo da PJ, mas os compromissos assumidos no encontro não foram suficientes para haver uma desmarcação da greve.

"Achamos que não há motivos suficientes para desmarcarmos a greve", disse, na altura, à Lusa Ricardo Valadas, presidente da Associação Sindical dos Funcionários de Investigação Criminal da PJ.

"Houve o compromisso da senhora ministra de, para a semana, nos apresentar o projeto de lei orgânica e de estatutos das três carreiras da PJ. O documento está a ser trabalhado há três anos", acrescentou.

Segundo a mesma fonte, a reunião foi produtiva e os sindicalistas saíram do encontro com "algumas expectativas, mas sem nada em concreto".

A ministra anunciou também a abertura "no primeiro semestre do ano" de um concurso para o ingresso de mais 120 inspetores no curso de formação, uma das exigências dos sindicatos e da direção nacional da PJ.

Ricardo valadas lembrou que a PJ tem défice de pessoal, havendo atualmente 1.100 inspetores para um quadro de 2.500 e que "não tem havido investimento estatal na investigação criminal".

Quanto ao descongelamento das carreiras, outra das reivindicações dos sindicatos, a ministra referiu que está dependente da situação dos professores.

"Somos uma carreira muito mais sacrificada porque a única valorização que temos é a subida de escalões que está congelada", frisou Ricardo Valadas, acrescentando que as pessoas estão desmotivadas e que muitas abandonam a polícia paria ir trabalhar para o setor privado.

Atualmente, explicou, um inspetor que acabe de ingressar nos quadros da PJ recebe o mesmo vencimento que um elemento com 10 ou 20 anos de serviço.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório