Meteorologia

  • 27 NOVEMBRO 2022
Tempo
18º
MIN 8º MÁX 19º

Este homem comandava drones. Eis porque se despediu

Brandon Bryant era um dos americanos responsáveis por conduzir missões de drones na tripulados no Afeganistão. Depois de várias missões decidiu afastar-se da força aérea e agora, em declarações à BBC, conta o porquê de ter parado com a sua carreira.

Este homem comandava drones. Eis porque se despediu
Notícias ao Minuto

18:45 - 04/02/15 por Notícias Ao Minuto

Mundo Brandon Bryant

“Faltavam seis segundos para o disparo atingir o alvo, e uma pessoa pequena corre e entra (na cabana). O míssil atinge o alvo. E eu fiquei ali sentado a pensar: 'Meu Deus, o que está a acontecer ... O que foi aquilo?’”, refere Brandon Bryant, um ex-operador da Força Aérea dos Estados Unidos, afirmando que depois deste ataque a uma cabana no Afeganistão ficou dias sem dormir.

Brandon foi responsável por diversas missões, nomeadamente a que terminou com a vida de Anwar al-Awlaki, um clérigo radical e líder da Al-Qaeda, mas cidadão com nacionalidade americana, e que fez com que pusesse fim à sua carreira.

“Diziam-nos que ele [al-Awlaki] poderia ser o novo Bin Laden. Mas ele era um cidadão americano, uma pessoa que eu tinha jurado proteger", refere à BBC, com olhar cabisbaixo. “Acho que, naquele momento, estávamos a fazer a coisa errada”, conclui.

Durante praticamente quatro anos, sempre acompanhado de um piloto que conduzia a aeronave, Brandon trabalhou nos turnos da noite, altura em que grande parte das missões era conduzida. Os seus atos, como operador de drones, ajudaram a tirar mais de 1,6 mil vidas.

Porém, o facto de acompanhar o dia-a-dia destas pessoas, monitorizando o seu comportamento à distância, tornava a sua tarefa ainda mais complexa, relata o norte-americano.

"Sabia que eles (os alvos) eram seres humanos. Via-os a viver as suas vidas, fazendo as suas coisas, até a colocarem uma bomba num local e voltar para a casa para abraçar os seus filhos", mas o que o mais o incomodava era tirar a vida a pessoas que havia jurado proteger.

"Foi isto que me fez decidir, virar costas e ir embora", conclui.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório