Meteorologia

  • 23 JULHO 2024
Tempo
25º
MIN 23º MÁX 37º

Noruega aumenta ajuda à Ucrânia com 4,3 milhões para proteção civil

A Noruega vai aumentar a sua ajuda à Ucrânia com mais 50 milhões de coroas norueguesas (4,3 milhões de euros) para a área da proteção civil, anunciou hoje o Governo do país nórdico.

Noruega aumenta ajuda à Ucrânia com 4,3 milhões para proteção civil
Notícias ao Minuto

18:44 - 16/06/24 por Lusa

Mundo Ucrânia/Rússia

O executivo vai também participar na reparação das infraestruturas energéticas da Ucrânia que foram danificadas pelos ataques russos com uma verba de cerca de 100 milhões de euros, é referido num comunicado.

Os recursos para a proteção civil serão fornecidos pelo Comité Internacional da Cruz Vermelha e pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância.

"A guerra ilegal da Rússia contra a Ucrânia continua em pleno andamento. A Noruega está muito preocupada com a situação da proteção civil na Ucrânia e não está menos preocupada com a situação das crianças, razão pela qual está a aumentar os seus esforços de proteção", disse o primeiro-ministro norueguês, Jonas Gahr Støre, citado no comunicado.

O Governo da Noruega recordou que já tinha atribuído um total de 800 milhões de coroas norueguesas (70 milhões de euros) em ajuda humanitária à Ucrânia.

Jonas Gahr Støre participou na Cimeira para a Paz na Ucrânia, organizada este fim de semana pela Suíça na sequência de um pedido do Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky.

A conferência juntou representantes de quase uma centena de países e organizações - metade dos quais da Europa -, mas foram várias as ausências (no total foram dirigidos convites a 160 delegações de todo o mundo).

A ausência de maior peso foi a da Rússia, que lançou a guerra na Ucrânia em fevereiro de 2022 e não foi agora convidada. O Kremlin (Presidência russa) contou com a 'solidariedade' de vários países, que rejeitaram participar na cimeira dada a sua ausência, como sucedeu com a China.

O comunicado final da cimeira "reafirma a integridade territorial do país" e pede que "todas as partes" estejam envolvidas para se alcançar a paz.

Leia Também: Zelensky afirma que receberá "em breve" F-16 da Dinamarca

Recomendados para si

;
Campo obrigatório