Meteorologia

  • 16 JUNHO 2024
Tempo
20º
MIN 15º MÁX 25º

Pelo menos 16 mortos em novo balanço de ataque em Kharkiv

O ataque russo no sábado a um hipermercado em Kharkiv, a segunda maior cidade da Ucrânia, causou pelo menos 16 mortos, segundo um novo balanço hoje divulgado.

Pelo menos 16 mortos em novo balanço de ataque em Kharkiv
Notícias ao Minuto

15:57 - 26/05/24 por Lusa

Mundo Kharkiv

"Infelizmente, já foram registadas 16 mortes", disse o governador da região de Kharkiv, Oleg Synegubov.

Um relatório anterior do Ministério do Interior ucraniano também relatou 43 feridos e 16 desaparecidos após este ataque.

"Para eles [os russos], é um prazer queimar. Todos nós sabemos com quem estamos a lidar", disse hoje o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky.

O incêndio que se seguiu ao ataque demorou mais de 16 horas a apagar.

A agência estatal russa Tass citou uma fonte de segurança russa dizendo que um ataque com míssil destruiu um "entreposto militar e posto de comando" no edifício.

As Nações Unidas condenaram o ataque e pediram proteção para a população civil da Ucrânia.

Também no sábado, três horas depois do ataque contra o hipermercado, a Rússia lançou mísseis contra uma zona residencial no centro da cidade, ferindo 18 pessoas.

A cidade de Kharkiv, que tinha 1,5 milhões de habitantes antes da guerra e se situa próxima da fronteira russa no nordeste da Ucrânia, é frequentemente atacada pelas forças de Moscovo, que lançaram a 10 de maio uma ofensiva terrestre na região.

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, convidou hoje os homólogos dos Estados Unidos, Joe Biden, e chinês, Xi Jinping, a participarem numa cimeira de paz a realizar em Lucerna (centro da Suíça) em 15 e 16 de junho.

A conferência terá lugar em Lucerna, no centro da Suíça, e foram convidadas mais de 160 delegações, mas não a Rússia, que denuncia que a fórmula de paz apresentada por Zelensky implica uma capitulação de Moscovo.

O Presidente Biden não confirmou a sua visita e a China, que não comentou a sua participação, tem dito que apoia uma conferência internacional de paz reconhecida tanto pela Rússia como pela Ucrânia.

Leia Também: Rússia reivindica controlo da aldeia de Berestove

Recomendados para si

;
Campo obrigatório