Meteorologia

  • 30 MAIO 2024
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 30º

Iraque, Líbano e Jordânia reabrem espaços aéreos

O Iraque, o Líbano e a Jordânia anunciaram hoje a reabertura dos respetivos espaços aéreos, fechados desde sábado à noite devido ao ataque sem precedentes lançado pelo Irão contra Israel.

Iraque, Líbano e Jordânia reabrem espaços aéreos
Notícias ao Minuto

08:50 - 14/04/24 por Lusa

Mundo Irão/Israel

Estes três países tinham anunciado o encerramento dos seus espaços aéreos e a interrupção do tráfego no sábado à noite.

Num comunicado emitido hoje de manhã, a Autoridade da Aviação Civil iraquiana confirmou que "o espaço aéreo foi reaberto" aos aviões que chegam ou partem dos aeroportos iraquianos, assegurando, nomeadamente, que "todos os riscos para a segurança dos aviões civis no Iraque - país vizinho do Irão - foram excluídos".

No Líbano, país vizinho de Israel, o ministro dos Transportes, Ali Hamie, declarou à AFP que os voos foram retomados desde as 7:00 locais.

"Retomámos os voos desde as 07:00 (05:00 em Lisboa) e estamos a acompanhar a situação", referiu.

A Jordânia, outro país que faz fronteira com Israel, também anunciou num comunicado que o seu espaço aéreo tinha sido reaberto hoje na manhã.

O chefe da Autoridade da Aviação Civil, Haitham Misto, disse ao canal de televisão estatal Al-Mamlaka que "o espaço aéreo jordano foi reaberto e tudo voltou ao normal", e que as companhias aéreas e os aeroportos foram informados.

"O mais importante é preservar a segurança da aviação civil no espaço aéreo e nos aeroportos, e foi isso que foi feito", afirmou Misto.

O reino jordano foi o primeiro país a fechar completamente o seu espaço aéreo perante a ameaça iraniana de um ataque contra Israel, já que várias companhias aéreas decidiram nos últimos dias suspender os seus voos para Israel.

O ataque, reivindicado pela Guarda Revolucionária Iraniana, foi realizado com cerca de 200 drones e mísseis, a grande maioria dos quais foi intercetada fora do espaço aéreo israelita, e surgiu como resposta à destruição do consulado iraniano na Síria, atribuída a Israel, que destruiu o edifício e provocou 13 mortos, incluindo dois generais do grupo paramilitar iraniano.

Leia Também: Intercetados 99% dos mais de 300 drones e mísseis iranianos, diz Israel

Recomendados para si

;
Campo obrigatório