Meteorologia

  • 28 MAIO 2024
Tempo
14º
MIN 14º MÁX 27º

Áustria suspende financiamento para agência que ajuda palestinianos

O Governo austríaco anunciou hoje que suspendeu o financiamento para a Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados Palestinianos (UNRWA) devido às suspeitas sobre uma dúzia de trabalhadores, entre milhares, terem participado nos ataques a Israel.

Áustria suspende financiamento para agência que ajuda palestinianos
Notícias ao Minuto

09:11 - 29/01/24 por Lusa

Mundo Israel/Palestina

"As acusações feitas em relação a funcionários da UNRWA envolvidos no brutal ataque terrorista do Hamas de 07 de outubro são profundamente chocantes e extremamente perturbadoras", declarou o Ministério dos Negócios Estrangeiros austríaco.

Num comunicado, o Ministério austríaco exigiu que a UNRWA e a ONU "realizem uma investigação completa, rápida e exaustiva das acusações" e anunciou que suspendeu os pagamentos à agência até que essas circunstâncias estejam esclarecidas.

Esta decisão já tinha sido tomada anteriormente por outros países, como os Estados Unidos, a Alemanha e o Japão.

"As Nações Unidas devem estar acima de qualquer crítica, também no interesse da sua própria credibilidade. Os possíveis envolvidos no ataque terrorista de 07 de outubro devem ser responsabilizados", afirmou a nota.

O Ministério austríaco indicou que desde 07 de outubro contribuiu com 13 milhões de euros para "aliviar o enorme sofrimento humanitário" em Gaza, onde o exército israelita continua as suas operações militares, nas quais já morreram mais de 26 mil pessoas, segundo o Governo do enclave palestiniano controlado pelo Hamas.

A contribuição da Áustria para a UNRWA divide-se numa ajuda anual de cerca de 400 mil euros e mais três milhões para um projeto de saúde, segundo dados fornecidos pela agência de notícias APA. A UNRWA tem 30 mil funcionários, 13 mil destes só na Faixa de Gaza.

O grupo islamita Hamas atacou Israel em 07 de outubro, provocando a morte de mais de 1.200 israelitas. O Governo de Israel iniciou, então, uma guerra para travar os combatentes do movimento palestiniano na Faixa de Gaza.

Leia Também: Haiti mantém esperança em missão da ONU apesar de revés na justiça do Quénia

Recomendados para si

;
Campo obrigatório