Meteorologia

  • 28 FEVEREIRO 2024
Tempo
12º
MIN 9º MÁX 16º

Rússia? "Perdeu geopoliticamente" e está a entrar em "vassalagem à China"

O Presidente francês, Emmanuel Macron, afirmou hoje que a Rússia "perdeu geopoliticamente" a guerra na Ucrânia e está a entrar "numa forma de vassalagem em relação à China".

Rússia? "Perdeu geopoliticamente" e está a entrar em "vassalagem à China"
Notícias ao Minuto

18:23 - 14/05/23 por Lusa

Mundo Emmanuel Macron

"A Rússia já perdeu geopoliticamente", afirmou Macron, citado pela agência France-Presse (AFP), referindo-se às ligações de Moscovo com os seus aliados tradicionais, a China, e ao alargamento da NATO à Suécia e à Finlândia.

"Sejamos claros, não se trata de uma 'operação especial' porque Vladimir Putin decidiu mobilizar-se. A Rússia pôs em causa os seus aliados históricos, o seu espartilho de primeira linha. Iniciou, de facto, uma forma de vassalagem perante a China e perdeu o acesso ao Báltico, que era fundamental para si, uma vez que precipitou a escolha sueca e finlandesa de aderir à NATO", explicou o Presidente francês ao diário L'Opinion.

De acordo com Macron, estes desenvolvimentos eram "impensáveis ainda há dois anos", pelo que já se configura como "uma derrota geopolítica".

De acordo com Macron, que de acordo com várias fontes se prepara para receber hoje o homólogo ucraniano, Volodymyr Zelenski, a Rússia "não deve ganhar a guerra militar".

"Aí cabe-nos ver como ajudar os ucranianos na sua contraofensiva, como preparar a questão das garantias de segurança para as negociações que inevitavelmente terão lugar", acrescentou o chefe de Estado à publicação francesa.

Macron insistiu que, a longo prazo, "a arquitetura de segurança europeia terá de garantir de forma plena a segurança da Ucrânia" do futuro, ao mesmo tempo que "terá de conceber uma não-confrontação com Moscovo e "reconstruir equilíbrios saudáveis".

"Mas ainda faltam muitos passos para lá chegar", assertou.

Zelensky fez este fim de semana um pequeno périplo pela Europa, passando por Roma, Berlim e Aachen -- onde recebeu o Prémio Internacional Carlos Magno --, sendo agora esperado em Paris.

Leia Também: Zelensky distinguido com o Prémio Carlos Magno. As imagens da cerimónia

Recomendados para si

;
Campo obrigatório