Meteorologia

  • 14 ABRIL 2024
Tempo
20º
MIN 18º MÁX 29º

Polícia israelita absolvida da morte de palestiniano em Al-Aqsa

As autoridades israelitas revelaram hoje que não encontraram qualquer delito praticado pela polícia na investigação interna sobre o assassinato em Israel de um palestiniano, de 26 anos, no início deste mês em Al-Aqsa, na Cidade Velha de Jerusalém.

Polícia israelita absolvida da morte de palestiniano em Al-Aqsa
Notícias ao Minuto

23:52 - 13/04/23 por Lusa

Mundo Autoridades

O caso foi hoje encerrado pelo procurador do estado de Israel, que conclui que a polícia agiu "legalmente em legítima defesa" quando disparou e matou Mohammed Alasibi, um palestiniano de Israel de uma aldeia beduína no sul do país.

Mohammed Alasibi foi morto a tiro na entrada do complexo da mesquita Al-Aqsa, na Cidade Velha de Jerusalém, em 01 de abril.

O procurador do estado de Israel disse ter "provas claras, diretas e sólidas de que nenhum crime foi cometido" pela polícia, sem elaborar ou oferecer provas.

Embora os becos da Cidade Velha de Jerusalém estejam repletos de câmaras de segurança, a polícia afirmou que não havia imagens de segurança do suposto ataque.

A polícia alegou que Alasibi se lançou sobre um polícia e tentou agarrar na sua arma, tendo mesmo disparado dois tiros para o ar antes que o polícia recuperasse o controlo da arma e o matasse.

Testemunhas palestinianas prestaram relatos diferentes, dizendo que Alasibi discutiu com um polícia a caminho da mesquita, o terceiro santuário mais sagrado do Islão.

O complexo, reverenciado pelos judeus como o Monte do Templo, também é o local mais sagrado do judaísmo.

A família de Alasibi negou que o palestiniano tenha tentado atacar um polícia, descrevendo-o como sensato, e explicou que Alasibi tinha acabado de regressar da Roménia, onde estudou medicina, e estava a trabalhar para obter o certificado de médico em Israel.

Leia Também: Autoridades estimam em 380 mil manifestantes em França

Recomendados para si

;
Campo obrigatório