Meteorologia

  • 19 JUNHO 2024
Tempo
14º
MIN 14º MÁX 21º

Moçambique. Declarado surto de cólera em distrito de Nampula

As autoridades de saúde da província de Nampula, no norte de Moçambique, declararam hoje um surto de cólera no distrito de Nacala Porto, com um óbito registado, anunciou fonte oficial.

Moçambique. Declarado surto de cólera em distrito de Nampula
Notícias ao Minuto

18:07 - 06/04/23 por Lusa

Mundo Cólera

"Neste momento o distrito de Nacala Porto está com um surto de cólera. Temos 32 pacientes internados" no Hospital Geral de Nacala Porto, disse à comunicação social Celma Xavier, médica chefe provincial, em Nampula.

A província de Nampula registou um óbito por cólera e tem um total de 157 casos que vEêm sendo registados há duas semanas, avançou Celma Xavier, referindo que o Hospital Geral de Nacala Porto recebe, em média, 15 doentes por dia.

Segundo a responsável, foram "ativadas equipas de resposta rápida e montadas tendas no hospital" para fazer face à doença.

Além de Nacala Porto, as autoridades estão em alerta nos distritos de Malema, Murrupula, Moma e Liúpo devido ao "aumento de casos de diarreias" registado naqueles distritos, referiu a médica chefe.

Pelo menos 1,2 milhões de pessoas de pessoas foram vacinadas contra a doença nas províncias da Zambézia, Manica e Sofala, no centro do país, o que corresponde a 100% da meta prevista, indica o Ministério da Saúde (Misau).

Um total de 111 pessoas morreram e outras 16.374 foram internadas devido à cólera desde setembro de 2022 em Moçambique, segundo os mais recentes dados do Misau.

Moçambique registou, desde setembro, um cumulativo de 24.516 casos da doença, 441 dos quais registados nas últimas 24 horas, refere a atualização da Direção Nacional de Saúde Pública.

As províncias de Niassa, Tete, Sofala e Zambézia estão entre as mais afetadas pela doença, cuja taxa de letalidade está nos 0.4%, segundo os dados da Saúde.

Os Centros de Controlo e Prevenção de Doenças (Africa CDC) da União Africana (UA) apelaram hoje ao "apoio" da comunidade internacional para combater os surtos de cólera em Moçambique e no Malaui, recentemente agravados pelos impactos do ciclone tropical Freddy.

"As infraestruturas sanitárias e sociais de Moçambique e do Malauí foram danificadas. Apelamos a todos aqueles que têm a capacidade de ajudar a cooperar com estes países para restabelecer a normalidade", disse o diretor em exercício do Africa CDC, Ahmed Ogwell, numa conferência de imprensa online.

"As respostas [nestas duas nações africanas] exigem uma abordagem humanitária", acrescentou Ogwell, que salientou a necessidade de assegurar o fornecimento de água potável, a eliminação adequada de resíduos humanos e comunicações inter-regionais, entre outras medidas urgentes.

A cólera é uma doença que provoca fortes diarreias, que é tratável, mas que pode provocar a morte por desidratação se não for prontamente combatida - sendo causada, em grande parte, pela ingestão de alimentos e água contaminados por falta de redes de saneamento.

Moçambique, considerado um dos países mais severamente afetados pelas alterações climáticas no mundo, está em plena época chuvosa e ciclónica, que ocorre entre os meses de outubro e abril, com ventos oriundos do Índico e cheias com origem nas bacias hidrográficas da África Austral.

Leia Também: Moçambique vacinou 1,2 milhões de pessoas contra cólera 

Recomendados para si

;
Campo obrigatório