Meteorologia

  • 18 JUNHO 2024
Tempo
18º
MIN 16º MÁX 21º

EUA consideram que Cuba, Venezuela e Nicarágua "não devem" estar na OEA

O recém-nomeado embaixador dos Estados Unidos junto da Organização de Estados Americanos (OEA), Francisco Mora, defendeu hoje que Cuba, Venezuela e Nicarágua "não devem ter presença" naquela instituição.

EUA consideram que Cuba, Venezuela e Nicarágua "não devem" estar na OEA
Notícias ao Minuto

21:07 - 26/01/23 por Lusa

Mundo Francisco Mora

O diplomata, que apresentou na semana passada as suas credenciais à organização, declarou numa conversa telefónica com jornalistas que na OEA só devem ter representação os países com Governos "que tenham sido democraticamente eleitos".

"Se vamos assumir o nosso compromisso com a carta da OEA (...), países onde existem estes tipos de regimes não devem ter presença" na organização, sustentou Mora, referindo-se a Cuba, Venezuela e Nicarágua.

Sobre a Venezuela, contudo, Mora sublinhou que, na sua opinião, se se conseguir realizar eleições "livres e justas" como parte das negociações entre a oposição e o Governo do Presidente Nicolás Maduro, o país poderá voltar a entrar na OEA.

"Não há razão para pensar que o próximo Governo que seja eleito através de umas eleições livres (...) não possa regressar com um representante ao Conselho Permanente", disse o embaixador, norte-americano de origem cubana.

Até ao início deste ano, o lugar da Venezuela na OEA era ocupado por Gustavo Tarre, um representante enviado pelo líder da oposição venezuelana, Juan Guaidó, que era reconhecido pelos Estados Unidos como Presidente interino da Venezuela.

Tarre cessou funções na OEA depois de a Assembleia Nacional da Venezuela, um parlamento paralelo controlado pela oposição, ter decidido afastar Guaidó do cargo de Presidente interino.

O Governo de Nicolás Maduro apresentou em 2017 um pedido formal para retirar o seu país da OEA.

Do mesmo modo, a Nicarágua também decidiu iniciar o processo para sair da OEA em 2021, e o seu embaixador junto da organização, Artur McFields, renunciou ao cargo em abril de 2022, denunciando o Governo do Presidente Daniel Ortega por violações de direitos humanos num discurso proferido perante o Conselho Permanente.

Por sua vez, Cuba foi excluída do sistema interamericano em 1962, devido à sua adesão ao bloco comunista soviético e ao confronto com Washington após a revolução liderada por Fidel Castro em 1959.

Os membros da organização regional anularam essa decisão em 2009, mas Cuba não pediu até agora a sua reintegração.

Leia Também: EUA pedem pressão sobre Nicarágua, Venezuela e Cuba pela democracia

Recomendados para si

;
Campo obrigatório