Meteorologia

  • 09 DEZEMBRO 2022
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 18º

Itália. Salvini e Berlusconi realçam necessidade de "um governo sólido"

Os líderes da Liga, Matteo Salvini, e do Força Itália (FI), Silvio Berlusconi, realçaram hoje a necessidade de "dar a Itália um governo sólido", numa reunião na casa do antigo primeiro-ministro italiano em Ancore, em Milão.

Itália. Salvini e Berlusconi realçam necessidade de "um governo sólido"
Notícias ao Minuto

21:51 - 30/09/22 por Lusa

Mundo Itália

necessário dar a Itália um governo sólido e de alto nível que seja capaz de enfrentar desafios complicados, começando com a emergência decorrente dos preços recordes de energia, em breve", afirmaram, numa declaração conjunta.

No documento, os partidos indicaram que o diálogo foi "cordial" e os dois dirigentes reiteraram o seu "propósito comum com Giorgia Meloni".

A força motriz do triunfo da coligação foi o partido de extrema-direita Irmãos de Itália (FdI), de Giorgia Meloni, que está prestes a tornar-se na primeira mulher a ocupar o cargo de primeiro-ministro de Itália.

De acordo com os resultados finais, o FdI venceu as eleições de domingo com 26% dos votos, e a coligação que lidera, juntamente com a Liga, também de extrema-direita, de Matteo Salvini, e o Força Itália, de Silvio Berlusconi, obteve uma clara maioria no parlamento.

A Liga, de Salvini, conquistou 8,8% dos votos (em vez dos 13% de 2018), e o Força Itália, do ex-primeiro-ministro Berlusconi, 8,1% (14% em 2018), segundo os números do Ministério do Interior, citados pela agência de notícias francesa AFP.

A coligação destes três partidos e de uma formação mais pequena com menos de 01% obteve 43,8% dos votos.

Estes resultados da coligação de direita e extrema-direita liderada por Meloni traduzem-se em 237 dos 400 lugares na Câmara dos Deputados, e em 115 dos 200 lugares no Senado.

O Partido Democrata (PD), de centro-esquerda, foi o segundo mais votado, com 19% dos votos nas eleições legislativas antecipadas.

Em conjunto com os seus aliados verdes e de esquerda, ocupará 84 lugares na Câmara dos Deputados e 44 no Senado.

O Movimento 5-Estrelas obteve 15,4% dos votos, o que lhe valeu 52 lugares na Câmara dos Deputados e 28 no Senado.

A aliança centrista Ação recolheu 7,8% dos votos e ocupará 21 lugares na Câmara dos Deputados e nove no Senado.

Os restantes lugares serão distribuídos por partidos mais pequenos.

Leia Também: Ucrânia. "Nenhum valor jurídico ou político" na anexação russa

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório