Meteorologia

  • 09 DEZEMBRO 2022
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 18º

Com a economia em queda livre, Liz Truss defende "medidas urgentes"

A primeira-ministra britânica, Liz Truss, afirmou hoje que o governo tinha de "adotar medidas urgentes para fazer crescer a economia" em referência à instabilidade causada nos mercados pelo anúncio do plano fiscal do seu governo.

Com a economia em queda livre, Liz Truss defende "medidas urgentes"

Na primeira declaração pública sobre as consequências do programa de crescimento que o ministro das Finanças, Kwasi Kwarteng, revelou na sexta-feira passada, Truss defendeu que este é o "plano certo".

O programa de crescimento, que inclui cortes fiscais agressivos e massivos, afundou a libra esterlina, recebeu críticas do Fundo Monetário Internacional e levou o Banco de Inglaterra a intervir de emergência, anunciando a compra de obrigações.

A líder Conservadora reiterou em declarações a várias emissoras da BBC que está "preparada" para tomar "decisões controversas e difíceis" para fazer avançar a economia e que fará "o que for preciso" para o conseguir.

Truss insistiu que era necessária uma "ação urgente" para proteger o país do aumento dos preços da energia e para impulsionar o crescimento.

"Tivemos de tomar medidas urgentes para fazer crescer a nossa economia, para fazer avançar o Reino Unido e também para lidar com a inflação", explicou.

"Claro que isto significa tomar decisões controversas, mas estou preparada para o fazer como primeira-ministra porque o que é importante para mim é pôr a nossa economia em movimento, para garantir que as pessoas sobrevivam a este inverno, e estamos preparados para fazer o que for preciso para que isso aconteça", disse.

Leia Também: Vinte dias depois, Truss já recebeu moções de censura dos conservadores

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório